sábado, 7 de novembro de 2009

dica 034 - Tomar remédio para depressão

*Sugestão coletiva da caixa de comentários e do e-mail. Obrigado a todos que colaboram.

Uma coisa que o aspirante à Classe Média tem que saber: dizer a todos que leva uma vida difícil. Na lógica médio-classista, sofrer de estresse com o trabalho e martirizar-se pagando impostos para manter o carro e a empregada faz com que a pessoa emane respeito e admiração. Por isso, nada melhor do que tornar-se um deprimido para em seguida poder tornar pública esta condição.

A melhor maneira de mostrar a todos que você carrega o mundo nas costas é ser consumidor de antidepressivos de tarja preta. Ao comprar um destes, imediatamente você será associado a “trabalho” e “dignidade”. Os médio-classistas em volta construirão uma imagem mental de você, imaginando-o mantendo a caríssima escola dos filhos, o caríssimo curso de Yôga da esposa, a caríssima fatura do plano de saúde. E inclusive tomarão seu partido e ficarão indignados com a quantidade de impostos que você ainda tem que pagar.

Muitos médio-classistas moderados recorrem também a psicólogos. Isso ocorre quando o cidadão não tem coragem suficiente para recorrer à química, mas carrega a necessidade de gastar dinheiro para fazer a citada publicidade de sua “miséria”. Tal método com certeza atinge, de certa forma, este objetivo, mas o destemido que vai direto ao psiquiatra para buscar a receita de seu comprimido obtém ganhos muito mais expressivos em sua reputação.

É bom saber que antidepressivos também têm outra importante função, além de publicar seu sofrimento em troca de status social. O antidepressivo é uma espécie de “entorpecente legalizado”, algo como a mistura de maconha (para relaxar) com cocaína (para criar a necessidade de consumir sempre). Com ele, o médio-classista pode se drogar à vontade e, mesmo assim, continuar falando mal de traficantes e usuários das outras drogas que a lei não permite. Além do mais, se você é da Classe Média, você tem direito. Afinal, como bom observador, culto, inteligente e esclarecido que o membro da classe é, ele sabe que vida boa é a de pobre: não paga escola pros filhos, nem plano de saúde, nem prestações e manutenção de carros caros, e nem impostos. Logo, está aí uma grande justificativa pra tomar o remedinho: felicidade é coisa de pobre.

102 comentários:

Spam for free* disse...

esses posts estão cada vez mais demorados!
estava quase entrando em depressão..

;)

sugestão : além do conteúdo original que toma tempo para produzir, ia ser interessante postar uns videozinhos, frases, pra alimentar nossa vontade de classemeditar...

Spam for free* disse...

link dica :

verbete definição na desciclopédia do cansei!
http://desciclopedia.org/wiki/Cansei

Abobrinhas Psicodélicas disse...

Mais uma vez, um post de primeira linha! Só uma observação adicional: ao tomarem antidepressivos ou fazerem terapia, os médio-classistas também demonstram uma certa solidariedade de classe. Afinal, psiquiatras e psicólogos, geralmente, também pertencem à classe média e tem impostos a pagar (isto quando dão recibo!) , carros a sustentar, empregados e etc, etc, etc...

Rodox disse...

Vc disse tudo, usar isto é a mesma coisa que estar usando dogras, atestar que vocÊ conseme ante-depressivos é o mesmo que dizer que vc é fraco e insignificante ao mundo que não consegue por si mesmo se tornar um alto suficiente de qualquer para qualquer situação, já tive oportunidades de usar e neguei todas hj estou de boa pior são aqueles que não conseguem dizer não aos diversos tipos de drogas que existem po aí.

Anônimo disse...

sugiro um post sobre a mania de comer tudo com garfo e faca...hamburguer, pastel, melancia, panqueca...

Anônimo disse...

sugestão de post:toda dona de casa que se preze ao ir ao supermercado usa luvas de algodão para pegar latas e outros produtos p/ não sujar as mãos ...certa vez vi com estes olhos...DONA RUTH( Cardoso a falecida )no supermercado da Av.angelica ter esta atitude tão meiga

lil kane disse...

Pow, eu curti o post
Mas dessa vez não me senti culpado
Tenho transtorno bipolar e faço uso de drogas legais.

woises disse...

Depressã~~aãõo..isso não existe!!!
o que he issoo???
tomo tarja preta desde os 10 anos
..... e nem to viciado!!!!!!
aliass.. meu amigo imaginario acha isso tudo bobagem!!!

fabio disse...

Quando vai sair o livro com as postagens deste blog? kkkk A cada vez voce se supera...vou trocar meus deprimidos por doses homeopaticas do classemediawayoflife...Sucesso aee!

Thomás Moutinho M. de Melo disse...

Terra rachada, sol a pino, fome,falta de água e muito forró.Álguém conheçe um sertanejo nordestino depressivo:
A dieta do sertanejo na seca inclui o CACTUS,a palma, o famoso Mandacaru que o Luiz Gonzaga falava, pois é, além de conter 90% de água o cactus tem Lítio, princípio ativo de vários tarja preta, sugiro desde já o plantio de cactus nas floreiras dos ap das grd cidades......

Anônimo disse...

Depressão é uma doença, antidepressivos são medicamentos que não geram dependência química, seu uso pode ser interrompido paulatinamente com a melhora do quadro.
Para o ignorante que postou ( bostou seria mais correto ) e aos ignorantes que comentaram, não existe remédio, só muita leitura e informação. Nos sebos vcs podem encontrar livros mais baratos...

Sr. José Pereira disse...

Eu tava ficando preocupado. Dessa vez demorou aparecer alguém anônimo ofendido pelo post. Já tava ficando sem graça isso aqui.

Anônimo disse...

Sinceramente, quanta inveja!
Muito temerário, também, traçar um paralelo entre anti-depressivos e as drogas ilícitas: estas alimentam uma rede de narcotráfico e violência. Se todo mundo tomasse bolinha, em vez de cheirar, pelo menos a violência tava controlada.

asnalfa disse...

Culpa do Lula, se nós cidados de bem medio-classistas temos que gastar dinheiro em antidepressivos. Aliais, culpa dele de ser um analfabeto e mandar a gente escrever antidepressivo emendado e nao mais separado por causa da nova lei gramatical.
Nós cidados de bem merecemos ser felizes sim! Nem que tenhamos consumir drogas que nos viciam. Culpa dele que a gente tenha que pgar tanto imposto assim. Se esse presidente fosse bonzinho, a gente nao pagaria tanto imposto e iriamos aposentar com o mesmo tempo de contribuicao das mulheres.

Renata disse...

Adoro o Blog, mas esse post foi bem desinformativo. Depressão é uma doença grave e, se você não sabe, muita gente pobre se trata com psicólogos e psiquiatras no serviço público de saúde, mas por conta do preconceito (como o seu) é difícil convencer a família (e o próprio doente) que depressão "não passa sozinha" "quando as coisas melhorarem" ou que "é frescura".

Anônimo disse...

[felicidade é coisa de pobre.]
kkkkkkkkkkkkkkkk

Anônimo disse...

ASNALFA, meu amigo, vc precisa de umas aulinhas de língua madre com ênfase na concordância verbal pra parar de escrever(a gente iriamos).......
Suas falhas pouco tem a ver com a tal da nova lei gramatical....acho mesmo que vc é fraco em português e basta

Anônimo disse...

ahhhhh e tem ainda o (aliaIs)...........é de matar

Anônimo disse...

Falando em erros gramaticais:

" O filho do trabalhador ou do desempregado, desde cedo, tem de participar da luta pela sua sobrevivência e aquela de sua família, estando fadado, muitas vezes, à evasão escolar, à repetência, ao descaso governamental. Consequentemente, ele não terá condições de aprender e DOMINAR as normas gramaticais."

.........Que uma pessoa pobre fale e escreva um português caboclo, pode-se até perdoar, mas a classe média esnobe que se vangloria de ter estudado em algumas ESCOLAS PARTICULARES DA VIDA......essa.......NAO TEM DESCULPAS.

FOI-SE FOI O TEMPO EM QUE
O domínio formal da língua escrita, ou seja, aquele que cumpre à risca as normas gramaticais, estava vinculado a uma cultura superior e à chamada cultura alta ou erudita, pertencente, teoricamente, à classe dominante e à burguesia.

Anônimo disse...

So a titulo de informacao,realmente tem pessoas que sao doentes e necessitam tomar anti depressivos,mas,a industria farmaceutica,uma mafia tao grande ou maior do que o narcotrafico(ja que é legalizada!),bem que dar uma "forcinha"pra vender sua "felicidade num comprimido".Ha uma mensagem subliminar,mandando a pessoa tomarem antidepressivos,pra ver basta vcs prestarem atencao nas propagandas das referidas drogas!!
É a industria que mais fatura,so perde pra de armas e o medicamento mais vendido no brasil,disparado,é um antidepressivo!!!
Sera que tem tanto depimido assim no Brasil?????

Anônimo disse...

"Se todo mundo tomasse bolinha, em vez de cheirar, pelo menos a violência tava controlada."


pensamento de classe média: achar que se o tráfico acabar, acaba a violência.

lil kane disse...

Babaca, acha que conhecimento do português faz alguem mais inteligente. Preconceito linguistico irrita-me. Deve ser o Maisnada raeuhriehraer

Anônimo disse...

Eu tomo remédios tarja preta e não me senti ofendido...

Luiz disse...

É, realmente! O dono do blog tá precisando mesmo de sugestões. O post demorou, e desta vez foi tão fraco, que precisou apelar pra ignorância. Depressão não tem nada a ver com "fingir-que-está-deprimido". E para ter depressão não é preciso estar em classe alguma. O que deu pra depreender do post é que o autor, ou nunca teve depressão; ou não sabe o que é, portanto, não deveria falar sobre isso; ou não se importa com a depressão alheia. Deu pra depreender tb que o autor parece estar ressentido de não poder usar suas drogas ilícitas em paz!! Só aquela outra parte - "da qual não faço parte", é bom dizer - pode usar drogas - "por que tudo são drogas", né? A minha sugestão para o próximo post é Médio-classista se queixa "o Brasil não legaliza as drogas como a Holanda já faz". Felicidade só pode ser mesmo coisa de pobre.

. disse...

kkkkk!

Discutir concordância verbal ou ortografia é muito classe média! Pobri num liga pra issu naum!!!

Moderador, acho que temos um bom mote aqui! Topas?

Do demais, acredito ser a depressão uma doença séria, mas sendo bem usada é cult. Vale lembrar que são os pobres que usam somente o tarja preta, os bons integrantes da classe média usam o tarja preta, frequentam o psicólogo e, o mais sensacional, fazem homeopatia. Sabe aquele floral feito a base de álcool ou Whiskie???

abraços e parabéns,
isso aqui é demais!!!!

Luiz disse...

Só pra constar, ser contra o preconceito linguístico não tem nada a ver com ser populista, ok? E nem vem me dizer que os que frequentam neste blog sejam de uma classe marginal, excluída, ou coisa que o valha. Estar nesse blog e escrever ante-depressivo ou não observar concordâncias e regências é coisa, sim, de gente mal-informada.

Thiago disse...

Classemedistas ( tá certo assim, patrulha da gramática?) enrustidos são sempre assim: acham graça quando o post não os reflete diretamente, mas se ofendem quando se vem retratados ou sentem sua esfera classe média invadida.

Depressão é coisa MUITO séria. Mas o blog é de humor. Quem sugeriu que se gastasse o espaço 'trazendo informação' sobre a doença parece ignorar isso. É igual entender pelos posts anteriores que todo mundo que mora em apartamento é classe média, ou quem tem carro e não usa o transporte coletivo é filha da puta.

O que existe, e é enraizado na CM como foi muito bem colocado em outro comentário é uma cultura de remédios psicotrópicos.

Criança agitada? Déficit de atenção, Ritalin nela. O sujeito se comportou mal no colégio e foi suspenso um dia? Bipolar, ansiolítico nele. Foi ostracizado na festa do clube Pinheiros? Tarja preta, 2º Dan pra lidar com a dor existencial.

Por ultimo, para o tremendo imbecil anônimo (a) pró 'tomar uma bolinha', que expos o maior dos maiores pilares classe média, que é querer regulamentar a vida alheia por conta do medo de que o outro 'invada seu espaço'. É a frase clássica da CM 'ai, imagina se liberam as drogas, o que não ia ter de gente cheirando cocaína batendo o carro'... claro, pq realmente a maioria dos acidentes causados por entorpecentes são pessoas que cheiraram, fumaram... não alcoolizadas como todo classe média faz de final de semana.

pedro disse...

o blog é de humor. Quem se revolta não etendeu nada. Por favor né.

Gisele disse...

Que isso, depressão pode levar até ao suicídio, é muito grave e infelizmente muito comum. A diferença é que pobre não costuma procurar ajuda e muitas vezes em vez de buscar ajuda, vai é para um bar beber. Sinto muito mas não dá pra rir desse post não colega.

Anônimo disse...

Uma coisa que parece ser característica dos jovens de classe média é a necessidade de pertencer a uma "tribo". 99% dos rapazes e das moças de classe média com menos de 25 anos são ou querem ser de uma "tribo". Alguns querem ser do hip-hop, a moda hoje é emo, muitos são playboys&patys (os representantes mais legítimos da classe na juventude), ou clubbers, ou metaleiros, ou pitboys, ou seja lá o que for...

Trebaud disse...

Nunca confiem em quem usa "bolas"! Sempre há uma personalidade complicada e até perigosa por trás de aparência e conduta produzidas artificialmente.

Marcelo - BH disse...

Eu fico imaginando o desânimo do Pierre quando lê essa caixa de comentários, cheia de bocós que não entenderam nada do texto e vêm dar lição de moral.

Pessoal, presta atenção:

1 - este blog é um blog de humor;
2 - o exagero, a generalização e a hipérbole são ferramentas do humor;
3 - este blog não é informativo de coisa nenhuma;
4 - o dia em que esse blog começar a "pegar leve", como alguns querem, ele acaba.

Erica disse...

Se eu que sofri de depressao por quase 20 anos, fiz tratamento com psicologo e psiquiatra, consigo rir do assunto, porque e que tem um povo tao abismado... piada gente, parem de vestir a carapuca. Parabens pelo blog, acho que e a primeira vez que comento aqui.

Colorido amigo disse...

Eu não visto essa carapuça.
A culpa é do neurologista que me nega essas benesses da classe.
E esse post me faz parecer tão fácil conseguir uma receita...
E eu só aqui sonhando com diazepan comprado legalmente.
Beijos amigos classemedistas (mas só praqueles que o Collor não levou)!

DJ PATRONIQ disse...

essa doeu. acuso o golpe.

arena disse...

compro drugs qualquer uma.
me reconheci classe media e fiquei deprimido tudo culpa de voces e do Lula claro.

Eric Paiva disse...

Bom, primeira vez que escrevo (queria ter feito antes, mas...). Achei a idéia do blog muito legal. Tava planejando algo do tipo com um amigo, mas nunca foi pra frente.

Alguns detalhes:

1- Acabar com o consumo de drogas e diminuição da violência não possui uma relação tão intrínseca assim, a não ser que vc leia a Veja. Não levar em conta a distribuição de renda e a criação de uma gama de oportunidades que possibilite aos desfavorecidos o direito de ter e de optar (com os devidos trocados no bolso), é no mínimo um certo despreparo para pensar nesse tipo de assunto.

2- Reforço a sugestão sobre um post sobre a legalização de drogas. Um mês atrás, antes da matéria da Veja (quem cheira mata), que não li, rolou uma discussão sobre isso num fórum freqüentado por uma maioria classe média. Que acharam uma saída simples para a questão: descriminalizar o usuário e liberar o plantio caseiro. Putz! O Classe Média Way of Life é o cara do capital imediato, odeia esquerdismos, vive o que a mídia (boa parte pela publicidade) determina que é o momento: moda, cultura, gostos etc. Ele não se vale de nenhum discurso ou elemento histórico: "Cotas?! Pô! Isso aconteceu lá atrás por que eu tenho que pagar por isso agora?". Com essa idéia de resolver o problema da legalização eles fazem o mesmo: "Que se dane que todo mundo em cima dessas favelas tão se danando há anos por conta disso. Eu quero defender o meu direito de 'viajar' e pronto." Essa legalização sugerida desconsidera toda a problemática que nos envolve durante décadas só para que o usuário (que sustenta tudo) possa ser feliz. Quando postei no fórum que se liberasse o pessoal do morro é que devia ficar com o lucro. Aí sim! Putz! Circulação substancial de dinheiro na favela, geração de empregos diretos e indiretos e ainda o surgimento de uma elite econômica tão quantitativa quanto a Way of Life. Bom, pra galera do fórum isso foi uma blasfêmia e quase fui expulso de lá. Ainda disseram que eu tava com discurso de "Tropa de Elite" (não entendi bem, pois eles são a Elite e eu sou o que vive no morro e tenho que aguentar essa palhaçada de gente mimada, tiroteio, polícia dando tapa na cara etc.). Plantio caseiro é uma piada, mas acho que se isso rolar vai acabar o lobby da Souza Cruz. Acho que vale uma olhada no site da Veja, pois nos comentários (que é onde as pessoas se mostram) quando a Veja fala da criação do Comando Vermelho, a elite amplamente informada e apta ao discernimento acha que se acabasse a esquerda (uma das bases do antigo CV) ia acabar com o tráfico. Ainda culpam o PT, pois acham que a ideologia da esquerda e o tráfico ainda caminham juntos, como se no governo do FHC não houvesse tráfico. Que gente surtada.

3- Tô colocando no lugar errado, mas outra coisa legal é, dentro da questão do preconceito e do, hj em dia, politicamente correto, é o blog do Danilo Gentile (queridinho piadista classe média). Ele posta uma coisa muito interessante no blog: o direito de fazer piadas sobre negros. Lá ele escreve que não há preconceito (racismo) nisso e que o fato do politicamente correto estar policiando tudo hj em dia, atrapalha o bom andamento da saudável piada. Me pergunto: "Se não há preconceito ali, do que as pessoas riem?" ou melhor "Como eu queria que ele me contasse a piada mais engraçada do repertório dele sobre branco. Algo do tipo: 'Aí o branco entrou na loja e...".

Abç

Fernanda disse...

(Perdoe a falta de acentos, por favor)

Eu adoro esse blog, mas esse post merece um FAIL.

Depressao e' uma doenca seria, causada por um desequilibrio quimico que apresenta sintomas muitas vezes ignorados pelo estigma que a sociedade impoe a qualquer pessoa que tome medicamentos psiquiatricos.

Embora concorde que muitas vezes os medio-classistas tomem antidepressivo depois de um autodiagnostico, tem MUITA gente com a verdadeira doenca que PRECISA da medicacao para viver uma vida normal.

Esse post so reenforca o estigma de que depressao esta "na cabeca", e nao e' uma doenca de verdade.

Uma pena mesmo, porque seus posts sao sempre engracados e interessantes.

Luiz disse...

Eric, vc é um babaca!
Hum
Que foi? Ficou melindrado? Vestiu a carapuça? Que nada cara, isso foi um prejulgamento a seu respeito de uma pessoa que nem sabe quem vc é... mas é só uma piada, sem estresse e depressão, relaxa!
E mais, o fato de eu dizer que vc é um babaca não vai fazer diferença alguma na sua vida prática.
Agora vou desenhar - percebeu que isso também foi uma piadinha? haha: fazer piadas com negros, mulheres, gays, torna a vida dessas pessoas pior.
Entendeu a diferença?
Hum
Deixa pra lá...

P.S.: o post está sendo criticado não por tentar satirizar a classe média, afinal, é por isso que estamos aqui. ele está sendo criticado por ter sido mal escrito, ambíguo, a ponto de ser interpretado mais como sátira a depressivos do que a médio-classista. Não conseguiu ser sagaz como os outros, foi só isso.

Anônimo disse...

Rsrsrs.

Esta foi minha primeira visita no blog.

Um amigo enviou o link após conversarmos sobre as hordas de classe c indo nos shows como planeta terra e maquinária.

Enfim...

Achei ótimo!Parabéns!

Isabella disse...

A classe média não é rica o suficiente para ter a vida que deseja (a da classe alta) mas também não é pobre o suficiente para sair pedindo dinheiro.

A solução é tomar antidepressivo mesmo, ora!

a. catani disse...

O blog é bem bacana, diversão garantida. Uso até nas aulas, pra dar uma cutucada na molecada CM. Ver as reações é interessante: uns poucos se ofendem, mas muitos entendem, vestem a carapuça e até topam debater sobre o comportamento medioclassista.

E não fiquei ofendido com o post sobre depressão. Embora seja um equívoco em todos os seus parágrafos, não deixa de ser divertido. Caricatura é assim mesmo: pega um traço e exagera.

A única coisa sem graça nisso tudo é estar deprimido e ter de se tratar, como faço há três anos. POsso garantir que reerguer-se após uma, duas ou três tentativas de colocar fim à vida não é piada. Ainda bem que os inibidores da recaptação de serotonina estão aí, pra manter a gente vivo, bem, sem vícios nem dependência.

Parabéns pelo conteúdo do blog. Mas cuidado: o SUS também prescreve antidepressivos e mantém, assim, muita gente que não é CM trabalhando e fazendo o país andar...

Um abraço!

Vixe... disse...

Parabéns pelo post.

Aos que não entenderam ou não tiveram senso de humor, o post NÃO É SOBRE DEPRESSÃO ou qualquer outra doença. Tá na moda da classe-média tomar LEXOTAN pra relaxar e um PROSAC (slogan:"tenha uma vida mais colorida") por cima, pra dar uma alegrada.

Ah, e ainda tem as anfetaminas que além de bater uma onda, tira a fome da patricinha que quer emagrecer na molezinha.

Paulo disse...

Eu tomo antidepressivo e gostei dos post.

Deu para entender o que o autor quis dizer, mas ficou mal colocado no título.

Deveria ser algo do tipo:

dica 034 - FAZER DA DEPRESSÃO MOTIVO DE STATUS, DE COITADINHO

ou algo assim...

Eric Paiva disse...

Pooxa Luiz, eu sou um babaca e vc é um Luiz, porém eu posso deixar de ser... engraçado, né?

Anônimo disse...

esse danilo gentili é um nojento mesmo! acha que pode fazer piada sobre tudo. é machista, racista, tem preconceito social e até estético. fala mal de negros, pobres, gordos, homossexuais, mulheres, 'burros', 'nerds'... parece q pro gostosão os únicos seres nobres nesse mundo são comediantes... escroto! cqc e pânico são programas totalmente desrespeitosos... pior é q "todo mundo", independente de classe, adora

qt ao tópico, eu ri. minha mãe sofre de depressão há 20 anos e faz da minha vida um inferno diário, mas eu entendi a qm o blogueiro critica. só diria que felicidade é coisa de ignorante. não no sentido de escolaridade, mas de não estar ciente doq o mundo pode oferecer. a inveja causa amargor. qd vc não tem um objeto de inveja (pq tem uma vida tão limitada q nem sabe q água corrente não é luxo; ou pq tem todas as suas necessidades satisfeitas), vc é mais feliz...

sobre os erros de português, como disseram, são imperdoáveis pra qq pessoa q acesse esse blog! "alto", "ante", ausência de vírgulas... não dá! eu escrevo em minúsculas pq eu quero. há qm não use acento, por escolha. mas erros crassos é ignorância... coisa de classe média q matava aula pra jogar video game.

pode ser "medianismo" da minha parte, mas acho q, liberando as drogas, o nº de episódios de violência vai subir. pq com um cara cheio de cocaína na cara não há discussão. não há razão. ele atira na sua cara pq vc pediu seu crachá do estágio e sua bíblia de volta. mesmo vcs sendo vizinhos, morando no mesmo cu de mundo, ele só pensa em arrumar algum troco pra comprar mais droga.

Bruno da Cunha disse...

Meu, o melhor do Blog e ver as brigas dos palpiteiros... ahahahahhahahahahahaha

Eric Paiva disse...

Quanto ao Gentili, Kamel, Mainardi... notei uma coisa há um tempo atrás (quando eu queria escrever coisas como as que estão aqui), as pessoas, não importa a classe, têm SANTOS intocáveis e que geralmente expressa um pensamento, um ethos ou está numa posição que determinada classe social almeja ou se identifica. Atacar esses santos é como atacar a pessoa em si. Por exemplo: não gosto de Tom Jobim, nada contra ou a favor, só não curto pq não dialoga com meu "mundo", mas se eu expresso isso em determinados lugares sou taxado de aculturado, de sofrer de insuficiência de sofisticação etc(nem falo o que acho daquele cantor de olho azul e voz engraçada, Chico Buarque). Com o Gentili acho que é igual, afinal o cara tá no CQC, eleito o melhor programa de humor da TV (Quem elege essas coisas?), expressa opiniões e preconceitos de uma determinada classe, mas é putas engraçado, tá na moda, têm umas tiradas legais, escracha... não sei se eu perdi a sensibilidade por não ver TV há uns 6 anos, mas sei que ver TV hj é uma coisa religiosa e falar dos santos sem ser pra rezar incomoda algumas pessoas... e depois fala em vestir carapuça... aliás, percebi que sou o último a entender a piada, pois o LUiz escreveu e eu não entendi nada até agora, pelo menos não da forma que está escrito.

WWW.BRASIL1984.BLOGSPOT.COM disse...

Acho que HOMEOPATIA é bem mais comum na classe média do que remédios alopáticos para depressão. Talvez esse seja um bom tema para um post futuro:

35 - Usar remédios homeopáticos.

Mille disse...

Olha, eu gostei do post, mas você poderia ter deixado claro que depressão é uma doença que existe sim, em qualquer tipo de classe social e não é uma frescura como ficou parecendo nas entrelinhas. Deixar isso claro porque depressão é um assunto de enorme delicadeza para quem sofre de verdade, inclusive desde a infância (antes de se estressar com trabalho e contas). Você pode perceber isso pela própria caixa de comentários que aqui existem inúmeras pessoas que sofrem/sofreram desse problema, ou que tem parentes próximos que não achariam a menor graça em ler esse post, mas enfim... Na minha opinião o post foi falho apenas nisso. De resto,dei risada, a classe média realmente adora um LEXOTAN, ahuhauahu e vc esqueceu de falar dos emos, que fazem arranhões no pulso e depois postam a foto no fotolog.net

-

P.S: Sofri de depressão profunda na adolescencia, e tive que lidar com isso sozinha. Meus pais (figuras desenhadas da classe média) achavam que o que eu tinha era frescura.

Juliana disse...

sugiro um post falando apenas sobre as 'empregadas domésticas' chamadas de 'secretárias' e que dão, ao mesmo tempo, status à classe média, e vergonha, por ela não querer admitir que contrata um funcionário para dentro de sua casa, com um salário tão pequeno... (e às vezes, elas ainda são primas distantes, aparentadas, afilhadas do interior, que vão tentar alguma coisa na casa do conhecido, sendo tratadas como família, mas é só sumir um objeto de valor que a coisa muda de figura).

parabéns pelo blog.

Anônimo disse...

Esse post me fez lembrar de uma característica bem marcante da Classe Média: a condenação do uso da maconha (apesar de muitos sujeitos da classe fazerem uso da mesma) e a defesa do uso de álcool, mesmo quando estiver dirigindo. Só um golinho não embebeda, alegam... e um tapinha na pantera, porque não?

James C. McBryan disse...

Eu não fui trabalhar certo dia pq estava gripado.
Na absoluta falta do que fazer, vendo TV 2hs da tarde.
Programa de fofocas com faixa passando na parte de baixo da tela:
Daqui a pouco: dicas para acabar com o stress!

Mano, eu estou no sofá VENDO TV 2hs da tarde, vou estar deprimido com o quê?!?

:P

Excelente post!

Samantha disse...

hahahahaha. òtimo texto, como sempre!

Óbvio que pobre não pode ter depressão! Se aparecer alguma garota lá no sertão da Paraíba, sofrendo de depressão, é invençao dela porque ela não tem razões para ficar deprimida.

Patrícia disse...

Muito bom o texto, já viciei meu esposo, uma amiga e agora minha mãe também está sempre por aqui.

Roderick disse...

Eh... o post poderia ter enfatizado mais o fato das pessoas estarem tomando remedio e fazendo psicoterapia sem necessidade, somente para se sentirem "in". Do jeito que ficou, parece que depressão não eh doença. Alem do mais ela atinge qualquer um, independente de classe social e tem que ser tratada.

Anônimo disse...

Cada vez melhor !! Do caralho !!

César

POA

Anônimo disse...

Que tal um post sobre os eventos da UNIBAN? Aquela classe média que odeia mulher liberada, independente e feliz.
Abraços
Horacio

Anônimo disse...

puro recalque

Marcelo disse...

Olha, moro em apartamento que tem os espaços citados e o condomínio não é muito mais caro que um apartamento sem os espaços. O blog é interessante, mas assume uma postura de verdade e generalização que leva à erros e talvez, a uma possível discriminação daquilo que chama de classe média. A crítica (autocrítica, pois o autor também é de classe média) é válida, mas será que esta "classe" só tem aspectos ruins ?

Anônimo disse...

Daqui a pouco o analfabeto do Lula vai querer dar a bolsa anti-depressivo pros nordestinos iguais a ele.

Tânia Marques disse...

Adorei seu blog. Irreverente, crítico, ironiza a classe média sem ser panfletário. Não foge ao maniqueísmo, mas arrasa a vida daqueles que pensam ser os "donos da cocada" e que passam por cima da essência de vida de cada um. Tomo antidepressivo por uma questão de desequilíbrio químico do cérebro(ansiedade). Se ela foi desencadeada pelo sistema capitalista, pelo desejo de 'possuir', foi inconscientemente. Visite o meu blog Palavras e Imagens: www.marquesiano.blogspot.com

Fernando disse...

Remédio eu não sei, mas que o pessoal da CMWL vai ao analista é certeza. Ter um analista é "in", vai por mim.

Hamanndah disse...

Desde quando classe média é rica?
Graças a Deus, não preciso tomar remédio contra depressão. Mesmo tendo perdido minha mãe recentemente, não sou uma pessoa que se deixa afogar por infelicidade. Sou uma pessoa feliz e sou de classe média, mas não sou rica

Idun disse...

Bom, primeiramente, parabéns pelo blog, pelas boas intenções.

Concordo em grande parte com algumas das idéias colocadas nesse post. A depressão enquanto produto é realmente preocupante. No entanto, tenho duas considerações a fazer, se me permitem:

1) Para se tornar um "produto", somente o consentimento através do consumo da classe média não é o único vilão da história. Deve-se lembrar da indústria farmacêutica, do papel do Estado, da configuração social como um todo.

2) Nem sempre a depressão é um mero produto, isto é, produzida e consumida. Existem diversos fatores, não só ambientais, mas também genéticos, biológicos. Dessa maneira, a depressão atinge indivíduos de todas as classes sociais. Dizer que "pobre não tem depressão" é uma generalização um pouco infantil e simplista demais. O grande problema está no fato das classes sociais mais desprivilegiadas não terem um acesso decente à saúde na grande maioria das vezes. E, dessa maneira, vão convivendo, não só com depressão, mas com outras doenças muitas vezes sem saber. Além disso, gostaria de lembrar que nem o tratamento da depressão enquanto doença nem sempre é halopático. Existem outras diversas formas de se tratar, mas cada uma é mais condizente com o tipo da pessoa, da vida que ela leva, com o que ela acredita etc. Não é só tratamento de sintomas, deve-se investigar as causas também. Nesse sentido, tenho um milhão de críticas à maneira como a medicina em seu todo é tratada no Ocidente (o que percebo é que, independente de ser halopatia, homeopatia, acupuntura, nós, ocidentais, encaramos a medicina como tratamente de sintomas de maneira compulsória, nos esquecendo de procurar as causas mais a fundo.).

Como eu disse, nunca fui muito fã da halopatia, mas não se pode chutar o balde dizendo que o antidepressivo é algo como uma mistura de maconha com cocaína. Existem diversos tipos de antidepressivos, nem todos são tarja preta inclusive (aliás, o critério que define ser tarja preta não é ser "forte" ou "fraco"). Enfim, é só um conselho para se tomar cuidado com generalizações, com esse tipo de deslize. Afinal, o assunto é realmente de grande importância para a sociedade e isso é uma tentativa de alerta.

Bom, é isso.
Mais uma vez, parabéns pelo blog, pela vontade de passar a informação.

Idun disse...

Mais uma observação: quando eu disse que não se podia chutar o balde dizendo que antidepressivos eram uma mistura de maconha com cocaína, não foi no sentido de depreciar a maconha ou a cocaína. Acredito que tanto o remédio quanto os dois outros são drogas, cada um da sua maneira e com seus efeitos. Existem remédios, não só antidepressivos, que fazem realmente muito mal ao organismo, que tem efeitos colaterais pesadíssimos, além do vício que podem causar. Então, se a pessoa vai tratar a depressão com halopatia, faz-se necessário saber dosar, saber direcionar (escolher um tipo adequado de remédio, o que não existe na opinião de muitos), acompanhar e saber parar (desmame).

Enfim, foi só uma observação. Eu também critico bastante o preconceito, a marginalização que há em relação às "drogas", ainda mais porque ocorrem em paralelo à aceitação geral que se tem em relação a medicamentos e seu mal uso.

Juliana Szymanski disse...

Você que postou esse conteúdo tem idéia da prevalência e do impacto que a depressão e outras doenças mentais possuem no Brasil hoje? Caiu por terra há muito tempo a idéia de que depressão é coisa de madame, drogadição é coisa de entediado e alcoolismo é coisa de pobre. Doença mental não é privilégio de uma clase ou de uma etnia. Isso tudo EXISTE e consome uma parte enorme dos nossos recursos, além de ser responsável pela qualidade de vida cada vez pior da população. Leia um pouco mais sobre indicadores de saúde antes de postar tanta besteira estereotipada. No começo, achei que esse blog tinha umas perspectivas mais provocativas, inteligentes, diferentes da banalidade nossa de cada dia. Mas me enganei. Vocês se transformaram no Arnaldo Jabor ao contrário, e tudo que tem esse tom de verdade absoluta e de pensamento de manada cai numa absurda falta de racionalidade. Que ironia. Era justamente isso que os posts antigos davam a entender que queriam combater.

Anônimo disse...

Juliana, vá chorar em outra freguesia. Isso é um blog de humor.

valmir disse...

Esse é o nome de um livro, nem tão recente, sobre um dos fenômenos mais intrigantes dos tempos atuais: o que antes era simplesmente tristeza – como já disseram, o sujeito ficava meio “chateado” – se tornou uma mina de ouro para médicos e laboratórios depois que deram nomes e definições complicadas, e as celebridades passaram e ficar deprimidas a torto e a direito, e surgiram medicamentos e drogas para a “cura”. Ninguém mais fica triste, só deprimido. Parece que tristeza é coisa de fracassados, que não se deram bem na vida, que não souberam aproveitar as oportunidades do super capitalismo, que como se sabe, estão ao alcance de todos que se prepararem bastante aprendendo inglês e informática – a datilografia dos tempos atuais.
Nem todos ficaram felizes, mas alguns estão ganhando um bom dinheiro, como sempre. Um médico midiático desses que estão sempre em evidencia, dizia em entrevista outro dia que a doença que mais tratava em seu consultório no Hospital das Clinicas de SP, era a que a atriz da novela das oito tivera no ultimo capitulo.
Na manhã do dia seguinte sempre tinha uma fila de pessoas em sua porta com os mesmos sintomas.
Mas o tema é o livro do americano Andrew Solomon ele mesmo um deprimido que foi fundo na pesquisa de seu tema. Investigou todos os aspectos; e uma hipótese curiosa que especula para a proliferação do mal está na coincidência entre o surgimento de uma verdadeira epidemia da doença na segunda metade do século XX e a popularização e proliferação da TV nos lares do mundo inteiro. Pode ser uma implicância sem fundamento, uma conexão forçada e aleatória, mas nunca me esqueço de outra pesquisa – pela qual também não dá para por a mão no fogo - que informa que o horário de pico dos suicídios no Brasil é em torno das 20 horas do domingo, quando surge a vinheta do Fantástico nas telas de todo o país.
É..pode ser...

maria guião disse...

Quero ( exijo!) entrevista com o espetacular dr. José Ângelo Gaiarsa!
Houve o caso uniban.... eh eh eh........ teve gente pacas! defendendo a escola!
E isso aqui tá me parecendo muito bom, muito bom!
Favor acatar exigência..... não sou bovina! quero qualidade!
beijos lascivos!

Anônimo disse...

Também é típico da classe mérdia achar que álcool e tabaco, além dos "remedinhos", não são drogas. Enchem a boca (molhada de uísque) para dizer que maconheiro tem que tomar é tiro na testa...

videoblogdofrancis disse...

Respondendo ao anônimo que mencionou a UNIBAN, desde quando classe média estuda na uniban? Pobre é que estuda em particular furrequenta. A classe média passa quinze anos no cursinho e faz pública. Além do mais, dá só uma olhada nas roupas da Geisy Arruda, classe média que se preza não veste aquele modelito mulher-fruta, né? Convenhamos!

videoblogdofrancis disse...

Eu sou da classe média, sou psicólogo formado e acho que a linha entre anti-depressivos e drogas ilícitas é, de fato bem tênue. Até porque um dos setores mais lucrativos da indústria farmacológica são os medicamentos psiquiátricos justamente por serem de uso constante. Ao meu ver não é assim tão diferente do tráfico.

videoblogdofrancis disse...

Fato que se complementa com o o detalhe do conhecimento acerca do cérebro pela ciência ainda ser muito superficial pra se produzir drogas realmente efetivas e específicas. Eu, pessoalmente, prefiro fumar um beck.
\0/

Anônimo disse...

Não há antidepressivos tarja preta, a maioria dos medicamentos tarja preta são ansiiolíticos, aliás gente pobre tb adore se entupir de rivotril!

hilton disse...

Desculpa, mas acho que vc generalizou.
Eu tenho depressão e uso esses medicamentos há anos, porque depressão é doença. Não carrego o mundo nas costas e muitas vezes preciso o me tratar para suportar exatamente essa gente que vc descreve.

Anônimo disse...

"Você generalizou"... como se fosse possível fazer um texto de humor sem generalizar...

Rafaela disse...

Que isso, depressão pode levar até ao suicídio, é muito grave e infelizmente muito comum. A diferença é que pobre não costuma procurar ajuda e muitas vezes em vez de buscar ajuda, vai é para um bar beber. Sinto muito mas não dá pra rir desse post não colega.

Anônimo disse...

Hmmmmmm... post estúpido. Aliás, sabia que depressão é muito mais coisa de pobre que de rico ou classe média? Baixo nível sócio-econômico é um dos fatores de risco para a depressão, e bem importante, por sinal. Além disso, qualquer anta retardada sabe que depressão é doença e não frescura há muito tempo. Péssima escolha de assunto desta vez.

Rafael disse...

A cada post do autor, meu pensamento sobre essa ralé esquerdista é confirmado com veemência, só mostra que esses vermes insistem em abordar um assunto sério e trazer à tona um tom irônico digno de pena. Pelo jeito o autor também é uma vadiazinha de bandido já que no post citado ele ainda faz menção ao fato das pessoas falarem mal dos drogadinhos e bandidinhos traficantes que essa raça hipócrita tanto defende, como se não houvesse muita diferença nisso tudo pois depressão é algo sério, mas mesmo assim esses vagabundos hipócritas insistem em defender indiretamente os "pobres-coitadinhos". Esquerdista é uma espécie peculiar que não deve ser levada a sério mesmo, é pior ainda quando o(a) mesmo(a) é estudante universitário, aí a hipocrisia, falta de bom senso e estupidez atinge níveis estratoféricos, lixos.

CARLOS AUGUSTO disse...

Na epoca de crise ,o crasse media troca o cartão de credito pelo cartão do plano de saude.O alvo principal eh o psiquiatra ,psicologo ,terapia de grupo, não necessariamente nesta ordem.A crise passa,ahi sim vamos ao cirurgião plastico fazer uma LIPO. ÊTA CRASSE MEDIA.

Menjol disse...

Malditos esquerdistas, blablablabla, hipócritas, blabla, não devem ser levados a sério... Parabéns, excelente o post.

Sugestão: medioclassista que é medioclassista sempre dá parabéns para um colega que acabou de adquirir ou trocar o seu veículo, mesmo que seja em 80 vezes com juros estratosférico. Dar parabéns para o novo motorizado é praticamente um atestado de médio classista.

Anônimo disse...

ah calma aí! nao vem dizer q anti-depressivo e psicologo é frescura da classe-média! sim, rola uma epidemia de hipocondríacos na classe-média, mas tome cuidado com as generalizações... e por pior q seja, correr o risco de ser um hipocondríaco metido a besta não pode vir antes do que buscar ajuda de um profissional.

gisele disse...

Esse texto além de ter vários erros gritantes de português ainda é sem noção...
Aff, como existe tanta gente ridícula e preconceituosa?
Se você tivesse ao menos um pouquinho de cultura saberia que a chamada "depressão" não é frescura muito menos coisa de quem quer se aparecer...
Idiota, ridiculo

gisele disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
A Lesma Lerda disse...

parece que o pessoal "deprimido" pode ter todo tipo de problema menos com auto estima, ..eles se teem em altissima conta (aliás isso parece estar na base mesmo da tal depressão..o mundo não reconhece seu valor e ele sofre por isso)...se der uma enxada ou uma foice pra cada um desses roçar um pasto quero ver a depressão..

Ted Tarantula disse...

aliás pode ser uma certa insensibilidade minha, admito, mas nunca vi um "analista" ou um "analisando" que não seja um perfeito canalha (egoista, quase autista, egocentrico, ignorante metido a sabido e sem nenhuma empatia com a humanidade..)um cretino absoluto.

Anônimo disse...

Caro Pierre,

Seu post está bem coerente com a proposta do seu blog; nada mais classe média do que falar sobre o que não se sabe, sem informação alguma, e inconsequentemente.

Assim como o câncer (soou familiar?), a depressão é ultrademocrática: atinge qualquer um, em qualquer classe social.

Fosse este texto jornalismo sério, você pensaria várias vezes em NÃO postá-lo, vez que a OMS (Organização Mundial da Saúde) tem recomendação mundial para que notícias sobre suicídios, QUALQUER UMA, não sejam veiculadas.

A lesma lerda disse...

será que esse nao é justamente o problema com os deprimidos???
eles se levam a serio demais...

Danilo disse...

No Brasil, a depressão é maior na classe baixa do que na média.

Não lembro a porcentagem, mas é maior, tenho certeza. Vi na revista Mente e Cérebro, e também não lembro do instituto de pesquisa.

Não lembro de nada, caralho! Preciso parar urgente com meus Lexotans!

Anônimo disse...

A blog é inteligente, interessante porém essa postagem foi presunsosa e burra.
Depressão não é opção caro bloguista. E você a tratou como se fosse.
Se não tem assunto pra escrever, não invente, que você acaba falando merda. Como fez na postagem. E o pior, é presenciar um bando de "meidio classistas" que concordam com tudo que você fala.
Como falou em outra postagem, a classe média é assim mesmo, sem opinião, se comporta conforme a manada se comporta.

Estrambotica disse...

Espero que nem você e nem ninguém que você ama sofra de depressão um dia. Esta doença é grave e leva ao suicídio. Texto estúpido.

Anônimo disse...

A classe média falando mal da classe média! Espero mesmo que nunca nenhum parente seu cometa suicídio em função de depressão...Isso deixa sequelas graves na vida de uma pessoa, especialmente quando seu pai se mata e vc, com apenas 12 anos, nao tem maturidade pra entender oq está acontecendo! Palhaços estúpidos|!

Nanny disse...

Descobri esse blog pelo twitter e já é meu blog favorito.
Filha de zelador, criada em prédio de classe média em bairro de classe média paulistana não é fácil, não! Tem gostinho de vingança! rsrsrs
Por curiosidade, joguei em comunidades no orkut "classe média". O resultado foi espantoso. A descrição das comunidades parecem ter sido extraídas dos posts daqui.
Mas a melhor de todas ainda foi a: "Sou de Classe Média Alta". A nata do boçalismo.

;) Parabéns pelo blog.

Direitassa disse...

Lendo esses textos esquerdistas tão sublimes, eu penso :

DOPS, que falta você faz!

vão limpar a bunda com a caros amigos, seus assassinos da liberdade!

Rê Mupy disse...

Além, é claro, de manter a bela indústria farmacêutica, fornecedora de tantas vantagens aos médicos, não é mesmo? O marketing em sua forma mais agressiva. Cabe lembrar que a intoxicação já começa no filho com déficit de atenção que toma ritalina, ainda que trate todo o resto com homeopatia.

Anônimo disse...

Ridiculo esse texto. Falta de respeito com os profissionais do ramo. Deve ser porque faltou assunto para fazer piada. Pobre não tem depressão não. Eles se tornam alcoólatras tomando pinga de um real misturada com café antes de comecar um dia de trabalho em uma obra porque são felizes...

Leonardo disse...

quem disse que pobre nao paga imposto?!?!!?!? voce sabe o que é imposto??

Julia Boëchat disse...

Aqui em Minas a gente diz: ela é uma moça muito boa! Tão sofrida...

Anônimo disse...

http://prixviagrageneriquefrance.net/ viagra
http://commanderviagragenerique.net/ viagra acheter
http://viagracomprargenericoespana.net/ viagra precio
http://acquistareviagragenericoitalia.net/ comprare viagra

Anônimo disse...

Back when we have of sites . practised an art, it can be internalised and could be worked occasionally
in order to final years. Tap water comes in via light hot-water storage container which explains sprayed through the coffee gardens.
Remove tea should only create little bit previously decided a slow in addition filter period.
Another one brilliant much of this eating house happens when
one has a group but some seem to be veg, an individual aiming to have issues due to the the many preparing salads will be green
vegetables, although undoubtedly liking choose they are provide aminoacids affected.


Also visit my web-site: coffee maker compare

Anônimo disse...

I'm gone to say to my little brother, that he should also visit this webpage on regular basis to obtain updated from hottest reports.

Review my weblog: compact microwave oven for rv