domingo, 20 de setembro de 2009

dica 030 - Praticar o "cada um por si" no trânsito

Para quem quer se comportar como a Classe Média brasileira, um ótimo ambiente de observação é o trânsito de nossas grandes cidades. Ali podemos estudar, por imersão total e com riqueza de detalhes, os valores deste peculiar grupo social.

O médio-classista encara o trânsito como se fosse uma grande batalha em defesa do seu direito individual prioritário de ir e vir, o que significa que cada indivíduo da Classe, no trânsito, tem prioridade um sobre o outro e vice-versa (numa estranha equação ainda não resolvida pela matemática). E todos têm prioridade sobre os pedestres (este ponto já é bem mais fácil de entender).

Para encarar o trânsito, cada cidadão da Classe deve estar equipado com seu carro. Se uma moradia médio-classista possui, por exemplo, 4 habitantes em idade para serem condutores, o ideal é que ali haja 4 carros. O carro é uma importante propriedade desses cidadãos, e seu interior é seu mundo particular, uma extensão de sua casa sobre rodas. Por isso, o carro para este público precisa ser equipado com "insulfim", equipamento de som, ar-condicionado e lugar para no mínimo cinco passageiros (para levar objetos e peças de vestuário, uma vez que raramente o carro do médio-classista trafega com mais de uma pessoa além do motorista). Tudo isso garante que o que realmente importa (o mundo particular do condutor) esteja muito agradável, a fim de evitar o contato com o mundo exterior, totalmente desprezível. Para este, há um mecanismo de comunicação denominado buzina.

Você, aprendiz de médio-classista, precisa aprender que, para ser da Classe, é necessário se revoltar com as atuais condições do trânsito. Assim, no seu papel de cidadão politizado e pagador de impostos, deve exigir das autoridades que abram espaço na cidade para mais carros. Que desapropriem, botem a cidade abaixo, mas garantam a duplicação das vias até resolver o problema (o que provavelmente será quando a cidade for um grande plano de asfalto). Fique revoltado também pelo fato de o Governo se preocupar mais em, violentamente, coibir seu direito sagrado de ingerir álcool, do que abrir mais acessos pro seu carro trafegar mais rápido.

Também é preciso aprender a se comportar neste ambiente. Se você quiser se parecer realmente com alguém da Classe, ande sempre na frente dos outros. Se alguém sinalizar que quer mudar de faixa e ficar à sua frente, mesmo que você esteja um pouco longe, acelere loucamente para passar à frente dele antes que ele realize a manobra. Logo, sabendo que todos agirão assim, dispense o uso da seta (pode até pedir o mecânico para desativar a sua). Você não tem que dar satisfações sobre pra que lado vai virar ou se quer ou não mudar de faixa.

Portanto, aspirante, o primeiríssimo passo para entrar na Classe é abandonar o transporte coletivo, o metrô e até mesmo a bicicleta (esta somente pode ser usada para lazer, e mesmo assim, deve ser transportada de carro até o local do uso). No transporte coletivo você está num espaço público, sujeito a ficar perto de pobres e nada ali é "só seu". É muito melhor que você trafegue dentro de sua bolha de vidro e metal, "privatizando" (aprenda a adorar esta palavra) cerca de 10m² do espaço público, com uma máquina de 1000kg que queimará petróleo para transportar uma pessoa de 70kg, a fim de garantir seu merecido bem-estar até seu destino. Você tem direito, você é da Classe Média.

--------------------------------
Imagem retirada do blog Idealismo de Buteco: o espaço ocupado por 54 pessoas, sendo 1) cada uma em seu carro; 2) todas num ônibus; 3) cada uma em uma bicicleta.

97 comentários:

Anônimo disse...

Boa...
Sugestão do esporte preferido da CM: Fórmula 1, afinal futebol é coisa de pobre e nada mais CM que ficar olhando aqueles carros dando voltas no mesmo lugar (com todas as informações em inglês), melhor só passa na Globo. Sendo que o sonho de todo CM é economizar para ir a Interlagos, onde ele poderá usar seus produtos piratas da Ferrari, ficará tomando sol (ou chuva) o tempo todo e ouvindo uma zueíra de nota só, sem ver nada é claro...., mas ele sairá satisfeito afinal é um esporte para poucos, sem o povão dos estádios rsrsrs

Grande Blog.

tuliovianna disse...

Este blog está se tornando um tratado sociológico sobre a classe-média brasileira.

Muito bom, mesmo! Parabéns!

Paulo Rená da Silva Santarém disse...

Fucei um pouco aqui, gastei meu alemão, e descobri que a foto é de 1990.

asnalfa disse...

Pra que vou me encostar em pobre no metrô? Ta louco? E a violencia? Aqui não é Europa nao!!!! Cada um tem que ter o seu carro.

Sergio Telles disse...

Muito apropriado o post para o Dia Mundial sem Carro (22/09): como podia ser todos os dias...

O blog é muito bom e eu recomendo pra todo mundo, em todo lugar!

Anônimo disse...

Esse blog não é um "Tratado sociológico da classe média", mas sim um estudo de caso da imbecilidade dos acadêmicos brasileiros. Um doutor em direito, professor de uma universidade federal achar isso aqui uma maravilha é lamentável. Claro que ele não difere muito de seus pares, atolados em besteiras marxianas, foucaultianas, gramscianas et caterva, mas ainda é chocante ver como que o poço é sempre mais fundo do que parece.

Anônimo disse...

Sou só eu ou a imagem que abre o artigo lembra uma suástica?

Abestos disse...

Tô com o tuliovianna, aqui tá um tratado! Parabéns, Pierre!

Até o Olavo de Carvalho palpitou como "Anônimo" aqui tentando se dar bem.

P.S.: Só um pequeno detalhe: Os "afim" no post seriam "a fim" (separado).

Abestos disse...

Acrescentando: Quando esse classe média vai a um país do G8 fica maravilhado com o "respeito" da gente bonita no trânsito por lá.

Aqui no Brasil, considera qualquer lei que tenta "civilizá-lo" como um absurdo, detona tudo chamando de "Indústira da Multa"! Hahahahah

Anônimo disse...

afim de evitar o contato NAO né.
a fim de(finalidade).

:)
até agora, esse é meu post predileto.

Well Bernard disse...

Até o Boris Casoy está escrevendo aqui.

Vanessa F. disse...

Nossa Abestos, verdade. Logo mais deve aparecer um post sobre o cidadão classe média em viagens ao exterior. Aguardo ansiosamente, hehe.

Ricardo Crispim disse...

Também é digno de nota para futuros posts a reverência que médio classistas fazem para "empresários". Diga que é "empresário" e todo classista te tratará muito bem, quase com reverência, nem que a empresa seja o contrato social e um paletó na cadeira, existe a mística da termo.

desova disse...

Sempre acompanho suas dicas e tenho sido um cidadão de classe média melhor desde então. Agradeço desde já pelo serviço que você tem me pretado. Agradicido mesmo.

Não sei se já deram essa sugestão, mas seria uma boa dica o uso do transporte fretado, cuja proibição em São Paulo encheu a Berrini de gente revortada.

Luiz Navarro disse...

Sensacional o blog e este post em especial. O trânsito e o automóvel são grandes catalisadores de frustações de poder da classe média brasileira. Muito bom!

Luciano Fernandes disse...

Seu blog foi recomendado pelo blod de escalada
http://blogdescalada.blogspot.com

kelly disse...

a classe operária vai ao paraíso sorrindo com esse blog :-)

dicas: a classe média apóia a pena de morte. Acredita - mesmo sem saber nada da teoria - em Lombroso. Crê no político "bom administrador". Odeia a inclusão digital.

Tiago disse...

GENIAL!! vou logo indicando pros amigos. Li todo o blog agora. Fantástico. Morri de rir!!
PARABÉNS!

Millena Lopes disse...

Adorei os posts. TODOS! Acho que podia tratar da relação da CM com as bebidas alcoólicas. Bom mesmo é vinho seco!!! kkkkkkkkkkkkkkkkkk

diego disse...

genial! você é um gênio, cara.

Stella disse...

Sensacional! Adorei o Blog! Li inteiro de uma só vez.

Delação Despremiada disse...

Vejam o desserviço que um blog de grande audiência está prestando:

http://kibeloco.com.br/kibeloco/2009/09/21/mare-verde/

Anônimo disse...

Sugestao: pagar pro jornal publicar fotos suas na coluna social.

paulo disse...

CM odeia qualquer bolsa que não seja Vitor Hugo ou aquela outra que não lembro o nome...Por falar em bolsa,viram o calote que os bolsista do exterior aplicaram no governo?
Gostei do blog e já passei adiante.
Abraço.

Anônimo disse...

Caros, aposto minhas duas mãos como 100% dos comentaristas (e o blogueiro) é - ou vem de família - da classe média.

Critiquem bastante para nao serem taxados.
Como diriam Andre Dahmer no malvados.com.br "assassinos, vamos matar todos eles".

Eu (acho que) sei disse...

Se esse "anônimo" odeia tanto esse blog, por quê o danado é tão assíduo? Pierre, "aposto minhas duas mãos" que ele é uma criação sua pra nos divertir ainda mais

Marcelo Idiarte disse...

Excelente post. É engraçado como a classe média é tão óbvia quanto os pobres que ela despreza. Só o que muda é a maneira de olhar. Porém tenho minhas dúvidas se foi o Olavo de Carvalho que comentou protegido pelo anonimato... Está parecendo mais o Diogo Mainardi, aquele que é ídolo-mor dos reacionários e dos bundões que eles pariram.

Anônimo disse...

Salve a classe média e os padroes mais doentios e pseudo-felizes de vida!

vambora todo mundo tomar uma cerveja!
E esquecer essa bobagem toda!

Até porque o "inferno é sempre os outros", acho que o Sartre ironizou a classe média com essa frase..

beijos!

Anônimo disse...

Eu (acho que) sei: tira o circunflexo desse seu "por que".
quer escrever? aprende.

Anônimo disse...

Anônimo, coloca o "til" no seu "não" "padroes". Quer escrever? Aprende...

Anônimo disse...

Hãm..a galera aqui tá achando que tem um só 1 "Anônimo". Oi?
Sério?
Hahaha
Taquipa.
É uma das opções de identificação que o próprio Blogger fornece na janela de comentários. Caceta, vai ser burro assim no inferno. Acho que uns 147 anônimos comentaram por aqui nas últimas semanas. Vai ver são parentes. Da classe média. Do primo do vizinho da praia.

Paulao disse...

Blog interessantissimo,
"A Favela UNIDA JAMAIS sera VENCIDA"!!!
E isso ai, ja estava na hora e alguem representar as classes Faveladas como nois!!!

Forte Abraco

Continue assim humilhando e tirando o sarro da Classe Media ( Mais conhecida como Elite em pais de esfomiado )

Anônimo disse...

Só um adendo: Se uma moradia médio-classista possui, por exemplo, 4 habitantes em idade para serem condutores, o ideal é que ali haja 5 carros, e não apenas 4. O quinto carro funciona como aquilo que a CM já aprendeu a chamar de "carro do rodízio". A função desse carro é atribuir prazer à CM por obrigá-la a gastar mais dinheiro e por permitir que ela tenha mais um motivo para falar mal do governo que sempre impede seu "direito de ir e vir".

Comerciais de TV disse...

O texto é ótimo! Parabéns! Traduz muito bem a relação do automóvel e a classe média brasileiro-tupiniquim.

Frederico disse...

Excelente esse texto! E, infelizmente, tragicômico. Reflete exatamente o momento que estamos passando em Belo Horizonte, onde milhões estão sendo investidos na duplicação de uma das principais avenidas da cidade, mas nada sobra para aumentar o alcance do metrô ou melhorar os outros meios coletivos de transporte.

Marx Jakobson disse...

Esse texto ficou ridículo e o blog é um amontoado de graça-sem-graça!
Cadê a crítica aos "classe alta"? Tá certo que muitos bocoiós se acham o "rei da cocada preta", mas o que falta a todas as classes sociais do país é EDUCAÇÃO e CULTURA, e menos pseudo-espertos.

Samantha disse...

Mais um texto muito bom, parabens!

Em primeiro lugar, para entrar no mundo da classe media, vc tem q ter um carro. Se vc nao tem carro, nao 'e da classe media. Carro = status.
Nao importa, por exemplo, se vc vai financiar sua eco sport em 334123 vezes (ah sim, um carro grande/utilitario ajuda a aumentar o status).
Se vc termina a faculdade, trabalha, mas nao tem carro... meu amigo, vc nao 'e da classe media. Logo questionam: "nossa, estudou tanto e nem tem um carro, nem melhorou de vida?"
Por isso, quem quer ser da classe media, de verdade, compre um carro custe o que custar! E siga os conselhos deste post! rsrs

ke disse...

os textos são ótimos, mas nada supera a comédia dos comentários ressentidos. hahahahhahahahaaha

deusb disse...

cara incrível, e já tá no numero 30. esta foto é sintese uma imagem perfeita do que significa esta praga do invidualismo que a as pessoas confundem com individualidade.
super bacana, o sergio burque de holanda tb falava deste mal, a classe média deveria ser a burguesia nacional, como os jovens em maio de 68, realmente intectualizados. mas somos macunaima e isso é algo distante para nós.

Anônimo disse...

Mto bom o seu blog. Cheguei aqui via twitter, via @luizcebola Voltarei + vezes! Já está nos meus favoritos!
Abs ;)
PS - Inspirada na dica 30, CM se acha O guarda de trânsito e, por isso, se acha no direito de controlar a velocidade alheia no trânsito, empacando a pista da esquerda andando a 80km/h. Deixa lá o cara tomar a multa dele! Não se sabe a pressa do cidadão! Mas, não o CM! CM controla mto os outros mas é incontrolável...

Rachel disse...

Oi! Adorei o blog, li de uma vez so. Tambem coloquei no meu blog e fiz minha propria lista, "como sabe se eh da classe media," inspirada por este blog maravilhoso.

PS. O fato de ter uns trolls irritantes eh prova que ja esta fazendo successo. Parabens! :)

Rachel disse...

Opa, o Google colocou o link errado. Eh riogringa.com

Bjos

Abestos disse...

Mais uma DICA FORTE:

Com a invasão da gentalha, o ORKUT tem sido mal dito pela Crasse Média e tem migrado para o Facebook, o preferido dos gringos.

Classe média DESPREZA orkut porque os "pobres" dominaram lá!

Leonardo Veloso disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cathalá disse...

Acredito não ser coincidência esse post ter saído bem na Semana Nacional de Trânsito. Em alusão à efeméride postei em meu blog algumas campanhas publicitárias que poderiam ajudar a mudar um pouquinho essa mentalidade. Mas são todas campanhas estrangeiras, pois não se faz campanha educativa séria sobre trânsito por aqui.

Diego Maldonado disse...

hahahaha... óoootimo blog... parabéns pela idéia e pelos ensinamentos! hahahahhaha

Anônimo disse...

é bem legal a idéia, mas ainda tendo 1m69cm, ainda é muito alto o onibus e ai é melhor pra saúde o automóvel.

Carrapato gorducho disse...

Sensacional =)

Anônimo disse...

"O imbecil coloca numa mesma frase Marx e Foucault. Percebe-se que não leu nem um nem outro".

Ai, que preguiça...pra começar, não há nada de absurdo em colocar Marx e Foucault na mesma frase, principalmente qdo o critério de categorização é a porcaria ideológica. No suposto 'pensamento' do professor que mencionei há tanto a ideologia marxista da luta de classes de como a ideologia foucaultiana das formas de poder típicas da modernidade. 'Ideologia' aqui pode ser substituída por 'paranoia', na verdade...

E por falar em paranoia, tem gente acreditando mesmo que o Olavo de Carvalho frequenta isso aqui e, ainda mais, posta comentários?????Leonardo, acho que vc tem esquecido de tomar seu remedinho tarja preta hein...

Srta. Cabeça de Batata disse...

Concordo, mas com "poréns".
Com ctza as pessoas estão cada vez mais "vivendo" numa bolha e praticando o "cada um por si" no trânsito (o que ocasiona mais engarrafamento é que as pessoas não andam, não respeitam e apenas "guiam", e não "dirigem" seus veículos, principalmente a classe média/ alta). Hoje, comprar um carro e "comprar" CNH, comprar a "multa" é mto fácil, por isso há tanta gte "pouca prática" nas ruas.
Quer comprar um carro? Compre. Ninguém pode tirar seu direito de ir e vir, mas com ctza, o governo NÃO pode jogar a CULPA no povo por ter seu próprio veículo. Se é para termos conscientização ambiental, o governo DEVE em primeiro lugar se preocupar com a SEGURANÇA do povo. E outra é colocar mais transporte público, arrumar e criar ciclovias, etc. Se é para substituir uma coisa pela outra, então que dê suporte a isso!

Um caso foi aqui em Curitiba, aonde a prefeitura fechou, no Dia sem Carro, várias vias principais no centro da cidade para obrigar os carros a não passarem ali, ou seja, ao invés de conscientizar o povo, só fez com que estes ficassem com "raiva" do Dia sem Carro, pois perderam seu direito de ir e vir (imagina se alguém precisasse correr com seu carro para o hospital? Precisaria perder tempo parando e explicando a situação ao "guardinha"). Sem falar no comércio que nessas vias, sem dúvida, não faturou o que faturaria em um dia "com carro".

O governo, com este Dia sem Carro, faz com que nós, cidadãos, cobremos um dos outros, tirando assim, o dele da reta. Dia sem Carro, sim, mas que eles nos dêem condições para que isto ocorra!!!

Mário Barra disse...

Como membro perfeito da Classe, devo ainda relatar alguns traços do comportamento:

1 - O imenso prazer de encontrar um espaço vazio entre as faixas de avenidas como a Paulista, a 23 de Maio, e o regozijo em acelerar o para "encaixar" o carro 2.0. ali, mesmo que a manobra seja completamente inútil dados os 5 km de trânsito à frente;

2 - Você não dirige com outras pessoas. Dirige com inimigos. O cara do lado QUER fechar você, o motoqueiro QUER roubar você, o vendedor QUER atrapalhar o seu "espaço vital" de trânsito.

3 - Bem lembrou o anônimo que destacou a importância de uma cidade com 4 habitantes ter 5 carros, de preferência, todos com placas diferentes, para que todo dia um carro possa ocupar a rua. Não DÁ para ficar sem carro.

4 - Qualquer medida para incentivar as pessoas a abandonar o uso do carro pode ser classificada como: ecobobagem, mafaldismo, vagabundismo e "eu-paguei-pelo-carro-e-agora-quero-usar-ismo".

Parabéns pelo blog, os textos são bons! Agora, com licença, eu preciso ir comprar pão e, lógico, é meio longe andar até lá, então eu vou pegar o carro.

Anônimo disse...

Gente, cansei. Eu não aguento mais essa pressão. Quanto mais eu falo que esse blog não presta, mais vocês acessam e comentam, elogiando como se isso aqui realmente fosse bom. Mais uma frustração na minha vida! Droga, meu problema é ser inteligente. Por eu ser um gênio, sou incompreendido. Eu posso ficar horas discorrendo sobre como este blog é ruim, que vocês, meros mortais, nunca entenderiam.

Na verdade fiquei chateado com as brincadeiras com os nomes do Olavo de Carvalho, do Mainardi e do Reinaldo Azevedo. Não se brinca com os cânones da análise sociopolítica do Brasil. Isso é sagrado. Respeitem. Eles são meus ídolos, e por eles eu faço qualquer coisa. Qualquer coisa mesmo, até no sentido em que vocês estão pensando.

Ultimamente minha vida me enche de frustrações. Por mais que eu e minha turma de direita tentemos espalhar a discórdia, o governo do tirano Lula só tem melhorado o Brasil. Os pobres estão consumindo mais, o que é um absurdo. Nos bons tempos, pobre era pobre e pronto. Tudo pra mim dá errado. Só queria que o autor apagasse tudo o que escreveu sobre minha classe, esse preconceituoso que não enxerga que a classe média é o pilar sustentador desse país que tanto odiamos. Delete o Blog! Será que isso é pedir muito, meu Deus?

Por fim, reitero que odeio isso aqui. Como não tenho poder para angariar seguidores, nem coragem de publicar meu nome, vou me dedicar a visitar esse blog todo dia e criar confusão na caixa de comentários. Vou escrever um comentário negando o anterior, vou falar que a classe média é gente de bem que trabalha honestamente, vou falar que tudo o que ataque meus privilégios é porcaria ideológica. Quando alguém descobrir que faço isso por medo, rebato facilmente dizendo que quem disser isso é um bobão. Estou nervoso. Preparem-se, seus fracos.

gueoli disse...

Pobre agora também compra carro. Tem 72 meses pra pagar, seis anos. Prestação de R$ 250,00, R$ 300,00.
Assim não dá! Não tem rua que chegue, daqui a pouco o combustível vai subir.
Além disso, dirigem muito mal. Por isso tantos acidentes, o mal de todo neófito é ser afoito.
Antes dos pobres começarem a ter carro o trânsito era tranquilo.
Pobre pretende ser classe média sem o menor conhecimento da coisa.
A tal da classe C agora, dizem, é média. Como são gulosos, espaçosos, disputando conosco os privilégios que foram criados por nós, para nós.
Pobres, por serem muitos, atrapalham muito. Veja os ricos, são poucos, muito poucos, não nos incomodam em nada.

Anônimo disse...

" o governo do tirano Lula só tem melhorado o Brasil. Os pobres estão consumindo mais, o que é um absurdo. Nos bons tempos, pobre era pobre e pronto"

Pois é, o próprio Lula discursou outro dia comemorando o crescimento da classe média no Brasil e este blog é justamente contra a classe média...ahh, claro, os iluminados que escrevem aqui não são de uma classe média qualquer, eles têm "pensamento crítico" hahahahahaha.

No mais, um sujeito que se diz contra a classe média e ao mesmo tempo cita o crescimento da classe média como grande feito do governo Lula é mesmo muito imbecil, ao ponto de não perceber uma contradição grotesca no próprio pensamento.

E, como não podia deixar de ser, resta empinar o narizinho e refugiar-se em ironias tolas e grupinhos ideológicos. Porca miséria...

Anônimo disse...

Que diferença faz postar como anônimo ou não?Isso é um argumento?
É tão divertido ver como vcs acusam os outros de fazerem justamente o que vcs fazem...eu vim aqui e expus minha opinião contrária ao blog. Imediatamente surgiram dezenas de ataques ad hominem, cada um mais esdrúxulo e mentiroso que o outro.
No mais, é óbvio que não há uma discussão aqui. Eu critiquei o blog em pontos bem específicos e claros, e as respostas foram apenas uma sequência interminável de mentiras tiradas sabe-se lá de onde. Por exemplo: "vou falar que tudo o que ataque meus privilégios é porcaria ideológica". Quais privilégios que eu tenho?E eu estou nervoso?Sério mesmo?No dia que vc se der conta de que suas respostas sempre se dirigem a invenções da sua cabecinha e não às críticas claras e objetivas que fiz, vc responde algo, ok?Por exemplo, vc pode começar explicando por qual razão o Lula estava comemorando o crescimento dessa terrível "classe média".

Anônimo disse...

E por fim: eu em momento algum disse que o blog deveria acabar. Parem de projetar suas idéias totalitárias nos outros. E tentem ser menos mentirosos. Eu sei que vcs queriam a calmaria do pensamento único, todo mundo aqui felizão destilando seus preconceitos contra a "classe média", sem ninguém pra incomodar. E todos, com pretensa ironia e sarcasmo, exerceriam seu "pensamento crítico". Sinto muito ter causado confusão na festinha das crianças hahaha.

LEO disse...

Seu imbecil, ser da classe média não é problema. Problema é pertencer à classe mérdia mente lavada pela Globo/Veja.
Não, no blog do professor de direito não há nada que faça menção ao poder disciplinar foucaultiano ou à luta de classes marxista. E seu trouxa otário. MArxismo é muito mais que luta de classes. Assim como Foulcault é muito mais do que poder disciplinar.
Luta de opostos existe na filosofia desde Heráclito. Para criticar Marx é bom que conheça a epistemologia marxista assim como os problemas com as filosofias ricardianas, smithianas, dos materialistas franceses assim como o problema da dialética idealista de Hegel.
Não rapazola, você não sabe do que está falando. Dizer que Marx fala de luta de classes assim como Foucault fala de poder disciplinar só repete-se o que já está na Wikipédia, coisa de gente preguiçosa que nunca tentou ler a "gênese dos sujeitos anormais" ou "o capital"

LEO disse...

e se quiser discutir filosofia comigo aviso que vai tomar uma surra

Anônimo disse...

Ótimo post. Só achei uma pena a primeira imagem ser montagem, mas bem sacado ainda assim.

Leo disse...

Ah não!!.. desculpa Olavinho.. esqueci das surras que anda tomando do Paulo. Olavo de Caralho, o "Autodidata".
Reinalda Azevedo "o totalitário em pele de democrata"
Diogo Maisnada o "Nada"

Anônimo disse...

hahaha, que divertido. Depois de ver suas respostas compulsivamente mentirosas ridicularizadas aqui, a criancinha muda o tom, começa a fazer voz grossa, tenta posar de machona, mas não deixa de ser patética. Vamos lá.

Pra começar: pode ser que no blog do professorzinho não haja menção explícita a foucault. Eu nem teria estômago para ler aquilo lá por inteiro, deixo o trabalho sujo pra vc. Mas o que importa é que em momento algum eu disse que havia tal menção no blog (mais uma de suas mentiras, hein mocinho...já avisei, não esqueça de tomar seu tarja preta). Qdo me referi ao "pensamento" do professor eu fazia menção à tese de doutorado dele, defendida na ufpr. Deixe de ler apenas blogs e procure por lá que vc encontra, ok garotão?

"MArxismo é muito mais que luta de classes. Assim como Foulcault é muito mais do que poder disciplinar."

Uau, é mesmo?Onde eu disse que era só isso?


"Para criticar Marx é bom que conheça a epistemologia marxista assim como os problemas com as filosofias ricardianas, smithianas, dos materialistas franceses assim como o problema da dialética idealista de Hegel."

Ih rapaz, tenho que conhecer isso tudo aí?E para conhecer a dialética hegeliana é preciso conhecer o idealismo de Schelling e Fichte tb?Ahh, mas aí eu teria que conhecer a filosofia crítica de Kant, né?Pensando bem, Kant sem Hume não dá...ixi, mas pra estudar Hume seria bom estudar pelo menos Berkeley e Locke tb...mas acho que não compreenderia bem sem confrontá-los com os racionalistas, então peraí que vou ler Spinoza e Descartes. Pô, mas o Gilson mostrou mil vezes as raízes medievais do pensamento moderno...deixe-me voltar então para Ockham.Céus, o que eu entenderia de Ockham sem ler Duns Scotus, Tomás de Aquino, Boécio e Agostinho?Ai ai ai, todos cristãos...vou ler a Bíblia tb, senão não adianta. E pra ler Boécio eu posso voltar direto pra Aristóteles né?Não vá me dizer que terei que ler Porfírio e que pra ler Porfírio terei que ler Plotino e terminar em Platão...ahhh, realmente, vc tem razão, não há como criticar Marx!

Anônimo disse...

"Dizer que Marx fala de luta de classes assim como Foucault fala de poder disciplinar só repete-se o que já está na Wikipédia"

Putz, quanta demência...onde eu afirmei que "Marx fala de luta de classes assim como Foucault fala de poder disciplinar"??? De onde vc tirou que em algum momento eu fiz uma comparação entre os 2????????

Além de mentiroso é burro...


"surras que anda tomando do Paulo"

O Paulo de quem vc fala com tanta admiração é o grande pensador autor de coisas como:
"Perco o sono quando leio Heidegger, perco as calças quando veja a Fran."

hahaha

Ana disse...

dois anonimos mais classe medianos impossivel,tentando provar que nao sao CM, disputando sabe-se-la-oque pra alguem que nao se importa trombeteando nomes. Patetico.

Spam for free* disse...

yes, I cansei!

Paulo Camargo disse...

Meu sonho é ver um comercial de um jipe Hummer arrastando uma dúzia de Smarts ForTwo pela 23 de Maio.

filhadapauta disse...

Tenho uma sugestão: Ser da classe média é torcer pro São Paulo, ir no Shopping Morumbi antes da partida com a familia toda vestindo camisa do time e comer no Mc Donnalds.

Beto disse...

Beleza, que tal a CM e a psicoterapia? Não faz muito tempo analise era coisa de rico. Hoje os CM enchem a boca para dizer que vão a um analista.

Pierre disse...

Aviso:

A atualização do blog está demorando devido a um problema com o Blogger, que me foi informado pelos seguinte texto:

"Este blog foi bloqueado devido à possíveis violações dos Termos de Serviço do Blogger. Não será possível publicar novas postagens até que o blog seja analisado e desbloqueado.

Este blog será excluído em 20 dias caso você não solicite uma análise.
"

Informo que já enviei a solicitação para desbloqueio. Logicamente se trata de um engano e o serviço será restabelecido em breve.

Já tenho novos textos prontos, aguardando apenas a liberação do Blogger.

Continuo contando com a visita de vocês.

Um abraço,
Pierre.

Adilson disse...

acho que só a classe A, que tem motorista e Lexus (Audi é pra novo rico/classe media alta) escapa disso. O baiano pobre e seu Chevette tunado é muito pior. Os médio-classistas, um ou outro ainda é fã daquela demagogia de colaboração no trânsito.

O trânsito tem prioridade sobre os pedestres pois movimenta, indiretamente a economia do país e quando o assunto é dinheiro, logo é também prioridade. Isso é uma conseqüencia do sistema capitalista, assim como a classe média é um produto do sistema.

Isabel disse...

Eu acho que pegar fretado para ir trabalhar é coisa de classe média...
Pobre mesmo vai de busão lotado, não tem dinheiro para pagar mensalmente um onibus "especial" com ar condicionado para deixá-lo na porta de casa... (fica a sugestão para os próximos posts...)

Spam for free* disse...

há algum obscurantismo na Classe Média que condiz com a Idade média.

Terror + Poder divino dos "reis" + vassalagem + etc...

Adoro seus textos, e essa temática barroca!

abc,
spammer.

Jeronimo disse...

Eu só queria deixar um comentário para esses dois anônimos. Sim, pois se percebe que são dois anônimos. Que tal se os dois colocassem um nome (qualquer nome!!!) para que não nos enganasse-mos com o que vocês escrevem e aí sim, direcionaríamos nossas críticas para cada um de vocês. Um aqui, neste post, disse que nunca pediu para esse blog ser excluído, enquanto que o primeiro comentário do post anterior, feito por um desses senhores, dizia exatamente isso!!!
Além do mais, antes de mais nada, vão se catar com essa história de escrever em latim! Tão querendo o que? Aparecer como advogados?
Outra coisa. Pelo que eu percebi, aqui não está sendo pregado o fim da classe média, mas sim o fim do PENSAMENTO de classe média, que não sabe nada além daquilo que está só na frente do nariz. Que eu saiba o Lula não apareceu aqui para elogiar o blog.

Elpydio disse...

Forçada. Esse comportamento no trânsito é generalizado. Na verdade, creio que é muito mais forte nas classes acima (por se acharem acima do bem e do mal) e abaixo (por falta de discernimento), do que na classe média. Na classe média, aliás, estão os mais bem informados a respeito da insustentabilidade do modelo de transporte baseado no veículo particular.
Forçado.

Jonas disse...

Elpydio, não sei o que é mais esquisito: seu nome ou sua opinião.

MaGioZal disse...

O engraçado é que essa primeira imagem do post acima (não o da propaganda alemã, masi abaixo) é o do cruzamento da Avenida Juscelino Kubitscheck com a Avenida Faria Lima, em seu trecho novo construído nos anos 90 pelo então Paulo Maluf, o sujeito que destruiu urbanisticamente a cidade durante seus governos com seus viadutos em zonas residenciais no Centro, suas vias expressas e túneis… para carros.

Detalhe: a Vila Olímpia NÃO tinha problemas de trânsito que justificassem uma obra deste porte.

Anyway, Maluf era muito poderoso durante a ditadura, era muito popular em São Paulo até o final do século passado, quando seu apadrinhado Celso Pitta foi eleito. Hoje em dia ele já não é mais, conseguindo no máximo se eleger deputado federal para se livrar da cadeia. Mas seu legado urbanístico está aí, e a influência ideológica de se construir obras gigantes priorizando carros infelizmente continua forte aqui em São Paulo, até mesmo nos partidos de esquerda, por incrível que possa parecer.

Anônimo disse...

Não! Não peça para o mecânico desativar as luzes das setas, senão você nunca vai conseguir avisar que a vaga é sua quando for estacionar num shopping center.

Lucas Santos disse...

q aula de ciencias sociais!

Vale lembrar a frase de Milton Santos:

"a classe média não ker direitos, quer privilégios..."

ps: c nao quer nem os direitos, que dirá os deveres!

Rubens disse...

Andar de onibus ou metrô, NO BRASIL ?!?!?! Cês só podem ter perdido completamente o juízo, ou estarem brincando... 8-D

Só anda de ônibus quem não pode escolher outro meio de locomoção...

Edicleo Oliveira disse...

PUTZ, TU É UM GÊNIO, VÉIO...

Anônimo disse...

RONALDO!

Alfredo disse...

Muito bom,

Magno disse...

Muito bom o Blog. Se não fosse trágico... não haveria controvérsia. Uma das características da CM é a de debochar de seus próprios costumes. Podemos viver com o complexo de culpa mas jamais abandonaríamos as "conquistas".

NorsonB disse...

"Uma das características da CM é a de debochar de seus próprios costumes."

Tanto é verdade que é bem CM ter um blog.

Marcelo disse...

A história de São Paulo foi marcada por um movimento político conservador de adaptação indireta de seu espaço
ao uso do automóvel, operado por parte da burocracia e da tecnocracia estatais com o apoio de grupos externos
economicamente dominantes, da classe média, permitindo-lhes acesso ao poder e atendendo aos principais interesses
econômicos, enfrentando, por outro lado, significativa oposição gerada no ventre do próprio rodoviarismo - O movimento sindicalista nascido nas montadoras do ABC, liderado por Luis Inácio Lula da Silva e que deu origem ao PT).

Guilherme disse...

Parabéns pelo blog!!! Lamentável os comentários de algumas pessoas. Vou analisar a situação como um amante de história e não como um moralista pseudo intelectual. Desde muito tempo, mais especificamente no começo da idade moderna (século XV), que a classe média tem importante papel na formação e consolidação de uma nação. Diferente do que muitos acham, é a classe média que dita quais os rumos que um país deve seguir. Infelizmente isso está bem claro no Brasil. CLASSE MÉDIA ATRASADA - PAÍS ATRASADO. Isso é fato. Temos que generalizar sim! A classe dominante sempre será a dominante, que domina o poder e as decisões. A classe pobre (no caso da brasileira) infelizmente não tem o poder da mudança. Já crescem em um país totalmente estratificado, que não propicia uma vida digna, incapaz de proporcionar ao jovem pobre uma consciência a respeito dos seus próprios direitos: no Brasil, rico é rico e pobre é pobre. A classe média é a unica capaz de reorganizar uma nova mentalidade. Mas a classe média brasileira não se importa com isso. Nascem da classe média, pertencem a um mundo próprio da classe média e morrem enquanto classe média. Poucas vezes se conflitam com as populações pobres, salvo em casos de assaltos ou roubos. Quando a batata assa pro lado deles, saem as ruas pra fazer passeatas contra os bandidos que venderam droga ao seu filho. Eu seria hipócrita se não falasse que não pertenço a classe média. Mas não divido o mesmo pensamento que o da maioria dessa classe. Sei como é! Sempre estudei em escola particular. Quando se fala em cotas, todo mundo é contra. Defende-las por uma questão histórica é racismo. Sou negro e sei como é o racismo nas escolas particulares. "Aquele preto ladrão", "tinha que ser preto mesmo". Aos moralistas que falam, falam e falam, comecem a observar mais. Fácil é dizer que o problema é da política, do Lula, dos pobres vagabundos. Difícil é olhar pra si mesmo, e dizer: caramba! eu vivo no meu mundinho. È isso!

Somnia Carvalho disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Gostei muito dos textos que vc escreve. Eu falei para um amigo sobre seus escritos, ele adorou. Vc podia falar sobre o nome de comdominio em lingua estrangeira.

Anônimo disse...

Isso também se aplica muito aos alto-clasissistas, os da CRASSE A.

valmir marques disse...

brasileiros (classe media ou nao) nao esta interessado em direitos mas sim em privilegios...nem quer ser cidadão, quer ser consumidor...

Mauri disse...

Genial o texto. Já faz tempo que prefiro andar a pé ou usar qualquer tipo de transporte público do que passar raiva com a classe mérdia no trânsito.

Anônimo disse...

Estes problemas não são apenas da classe média. Atingem todas as classes no brasil. Você esqueceu de comentar o famoso "Você sabe com quem está falando?". Mas, quer uma dica: leia mais sobre o Brasil antes de escrever. Muita gente já comentou estas coisas de forma sistemática. A cabeça do brasileiro é um bom começo, mas há livros mais profundos sobre o assunto.

Abraço.

Boa sorte na sua empreita.

julyana disse...

Caraca, esse é um post que eu sempre quis escrever, fantástico!
Moro em Salvador e até um dia desses eu sempre dizia que queria ter um carro... é incrível essas manias bizarras que a gente aprende praticamente por "osmose": "ter um carro facilita sua vida".
Não sei se todo mundo percebeu, mas essa redução de IPI para os carros tornou as cidades um inferno pior do que já eram: sair de um lugar pra o outro por mais proximo possivel que seja nao dura nada menos que 30 min, e o pior: uma cidade com mais de 2 milhoes de hab. que a unica opção de tranporte publico é onibus! Imaginem,cada vez que vejo uma pessoa sozinha em um carro(de cada 10 carros cerca de tem apenas o condutor) não consigo entender como as pessoas ainda conseguem ser convencidas de que esse é o melhor meio de transporte. Se não é burrice, só pode ser cegueira.
Ah, e uma super dica... http://docverdade.blogspot.com/2009/07/cidade-do-automovel.html
É um documentario muito bom que fala exatamente do que o post coloca, so que analisa mais a fundo como tudo hoje relacionamos com o automovel!
muito muito bom!

Anônimo disse...

O texto é interessante, mas ta cheio de opiniões batidas... parece que o autor ( não achei o nome ) colou de outros lugares as informações. Concordo totalmente com o texto, mas apesar de bom, é pobre. Até as imagens ilustrativas são velhas... desculpe a sinceridade. Mas o mais bizarro de tudo é ter uma propaganda verdadeira de venda de carros logo no início do texto "conheça o smart fortwo"... vai entender!

Carlos Aranha disse...

Da Veja: "Perder horas por dia em congestionamentos limita o direito de ir e vir e esgota a paciência do paulistano."

Essa é a revista da classe média!

http://vejasp.abril.com.br/revista/edicao-2153/cet-verba-aumenta-os-problemas-com-transito-continuam?utm_source=twitter%20&utm_medium=vejinha&utm_campaign=cidade

Rebs disse...

Adorei este post!! Eu que sou pedestre-passageira-de-ônibus-sofredora, concordo com tudo que você falou. No entanto, gostaria de fazer alguns adendos:

1) O médio-classita se endivida comprando carros gigantes e beberrões tipo Pajero, Cherokee, Santa Fé etc, mas mora num apartamento de 3 dormitórios e 45 m2. Afinal, todo mundo vai ver o carro, mas poucos visitarão a casa.
2) Os corredores de ônibus são uma verdadeira afronta ao motorista. Onde já se viu uma faixa exclusiva para um veículo com 40 pobres dentro?!
3) Um médio-classista nunca pode deixar que um pedestre atravesse na sua faixa. Se acontecer, deve jogar o carro em cima dele. Se estiver chovendo então, deve passar sobre uma poça para respingar água suja.

Só pra completar, não existe indústria de multas. Existe indústria de gente fazendo cagada no trânsito.

Leonardo disse...

Pior de tudo é pegar rodovias em epoca de feriadão e ver o bando de CANALHAS trafegando pelo acostamento...

cade a Policia Rodoviaria FEderal? prefiro procurar gnomo..

Rafa-Punk disse...

Até aqui, esse foi o post mais interessante do blog, e, ao que tudo indica, afetou a ala mais conservadora e "intelectual" da CM. No fundo, eu acho que essa é a clivagem: uma parte (minoritária) da classe média tem noção dos problemas intrínsecos a essa sociedade que lhe deu origem, e quer lutar contra eles. Isso significa sua aniquilação? Talvez, mas apenas na forma que ela tem hoje. A outra ala, estereotipada aqui nesse blog e que se revolta contra o blog, é a ala mais conservadora, que acha que o pouco que o Brasil tem de bom vem dos seus hábitos e costumes. Mas se esse pessoal estudasse um pouco mais e viajasse prestando mais atenção em como as coisas realmente funcionam nos países "desenvolvidos", teria também mais crítica sobre si mesma...