domingo, 12 de abril de 2009

dica 002: Ser contra as cotas para negros nas Universidades

Médio-classista que se preza, é absolutamente contra as cotas para negros nas Universidades Federais. Afinal de contas, se você foi melhor no vestibular, é injusto que alguém ganhe sua vaga só porque é negro.

Para defender sua posição, não meça esforços. Qualquer argumento, qualquer um mesmo, vale. Até dizer que as cotas são piores para os negros, porque neste caso eles não terão a chance de provar que podem ser tão inteligentes quanto os filhos da gloriosa Classe Média.
Enfim, para mostrar que você, aspirante à Classe, tem coração e não quer apenas garantir o seu lado, sugira alternativas! Você pode sugerir que os negros frenquentem os mesmos cursinhos que as pessoas que normalmente são aprovadas frequentam. E também dar uma bronca neles por causa da falta de iniciativa, afinal, você vê os filhos da Classe Média estudando anos a fio em cursinhos, e praticamente não vê negros lá! Como é que eles querem entrar na Federal assim???
(Foto: Escravos Macerando Mandioca - Foto: Victor Frond, Rj - c. 1858 / Biblioteca Nacional. encontrado em www.espacoacademico.com.br/019/19calves.htm)

41 comentários:

Anônimo disse...

RIDICULO

Bruno Giorgi disse...

Estou conhecendo o blog agora e pelo pouco que li, tenho a mesma visão em relação à classe mérdia, mas não concordo com esse post.

Não concordo pq as cotas para negros são mais uma solução paliativa que pouco ajuda na democratização da educação. Não concordo pq a não entrada de negros nas universidades é a ponta do iceberg, e a base é a falta de um ensino fundamental acessível à todos e de qualidade e é isso que deve ser buscado um ensino de qualidade para todos, negros, brancos, verdes, amarelos, azuis, não importa. O importante é que todos tenham acesso à educação, é isso que temos que exigir e contribuir para que aconteça.

Educação para todos é essa cota que eu defendo.

GDW disse...

ahahahah
esse aí é mais representante legítimo da classe média.
Direitos iguais????
é de comer rs
qndo isso for acontecer dá um toque hahahahah

Anônimo disse...

Sim, as cotas raciais integram as minorias raciais à sociedade, blablablá, mais negros/amarelos/índios misturados aos brancos, blablablá, todos saltitando em meio a flores e arco-íris, blablablá, whiskas sachê.

Mas o racismo VAI continuar.

Racismo é algo tão (se não mais) nocivo quanto usar drogas, e portanto deve ser combatido a _longo_ prazo. Dito isso, qual o problema de se investir em educação? Devemos nos conformar com paliativos? Sou eu um "classe-medista" (pejorativamente) pelo simples fato de DISCORDAR das cotas raciais?

Anônimo disse...

Cota não tem a ver com racismo. Trata-se apenas de um sistema pra corrigir uma injustiça histórica. Nos EUA foi feito uso de cotas por vários anos, salvo engano hoje em dia o sistema está sendo abandonado, porque os negros estão com acesso à educação melhor do que antes. Acha justo uma corrida de 400m em que uma pessoa sai normal na largada e outra fica acorrentada e presa, sendo solta quando os demais concorrentes estão já nos 200m da prova?

Lobs disse...

Ridiculo [2].

EUA é um país diferente, com cultura e economia diferentes, e sistema de ensino diferente.
Quer negros e pobres passando no vestibular, dê condições para que eles se preparem e consigam entrar, e não cota.
Todo mundo quer que seus filhos estudem nas melhores universidades. Vocês falam isso como se fosse errado pagar um cursinho por querer que seu filho tenha o melhor ensino.

Bruno da Cunha disse...

Qtos brasileiros formados em boas universidades - às vezes com pós graduação no exterior - que estão desempregados por aí? Ainda assim "fazer faculdade" é um conceito fortemente enraizado na mente médio-classista. Pois a imagem que se vende de uma "vida de sucesso profissional" é de quem fez uma boa faculdade. E não é bem por aí. Antes de falarmos em cotas devemos ter em mente que "fazer faculdade" é uma opção, não uma obrigação.

Anônimo disse...

Cota tem que ser Social e nao racial.
Tem que garantir vaga para pobres e nao para negros. Alias, ate porque no Brasil somos todos negros.

Anônimo disse...

Li em algum lugar, não me recordo onde, que em certos países a palavra raça foi abolida para não ter distinção dos seres humanos como cidadãos na sociedade. Pois quando se fala em raça, tende-se a falar em mais e menos evoluidos, mais e menos capazes, etc, etc...a mesma propaganda de Hitler pra aniquilar os judeus, blablabla...
Raça é um conceito biológico, e se for entrar em mérito em qualquer discução, deve-se levar em conta as distinções de cada raça presente na Terra.
Quem quiser saber mais, tenta googar "raças humanas", e verão o que encontrarão...

Stefanie disse...

Fazer faculdade não significa ascenção social. Mas todos deveriam ter a chnce de fazê-la se quisessem, não só para melhorar de vida, mas para aprenderem mais, contribuirem futuramente... Ok, OK, educação pela educação é uma utopia.
Classe média, e A e B e C, têm que ter uma finalidade em tudo o que fazem.
Como boa medio-classista que devo ser, sou contra o sistema de cotas. Não porque ache que negros não mereçam um estudo de nível realmente superior, mas porque penso que não é a cor o fator principal que os isola do ensino de qualidade e da ascenção social. É a má qualidade da escola pública de base.
E mais outro pitaco: os vestibulares são essa selva porque não há vagas suficientes nem para aqueles que estudam e sabem a matéria, brancos, negros, índios ou orientais. Investir em universidades pelo país, das de verdade, não as caça-níqueis ou as via internet, é uma forma de aumentar o acesso ao ensino e as suas boas consequências para a comunidade de entorno.
Os EUA, tão mirados pela classe média, adotaram sistema de cotas para compensar o racismo, pois suas universidades tinham entrevistas pessoais como parte do processo seletivo. No Brasil, a folha de respostas está em branco, e depende só do preenchimento do candidato.

Anônimo disse...

essa historia de racismo nunca vai acabar se nao adotarmos soluções definitivas:
Ou abolimos qualquer privilegio, que possa diferenciar um cidadão do outro, Ou admitamos que existam sim raças diferentes, por processos de evolução, e umas se desenvolveram mais do que outras em certos aspectos, como o intelectual. E assim as raças menos favorecidas seriam justificadamente beneficiadas.

Nadia disse...

Hahaha
Gostaria de saber a respeito das pessoas que escreveram comentários:
1º Qual a cor que escreveram em formulários de pesquisas ou em documentos do tipo Certificado de Reservista?
2º Estudaram em que tipo de estabelecimento (público ou privado)?
3º Se responderam estabelecimento privado, quantos colegas negros eram vistos no estabelecimento?
4º Se têm ou já tiveram empregada doméstica, qual a cor do empregado?
... tem mais, mas acho que por enquanto é o suficiente.

Orlando Ferreira disse...

Cotas Sim!
Classe Média=Piada grotesca

jiraya disse...

Vc devia fazer uma nova versão disso ae. Eu sou contra as cotas raciais, e eu sou POBRE e NEGRO. Mas em geral, a classe média é contra QUALQUER TIPO de cota...até mesmo a social. Se escondem atráz do discurso de que o governo deveria era melhorar o ensino público(o que seria o certo realmente), e fingem que essa solução seria rápido e que tb resolveria o problema de quem está terminando o ensino médio AGORA.

jiraya disse...

Não se ficou claro...eu apoio as cotas sociais, mas não as raciais.

Anônimo disse...

Dica S/ Nº: escrever este blog com argumentos muito fracos na maioria das dicas... principalmente nessa.

Como já foi dito por outros, a ausencia de negros no ensino superior é consequencia, e não causa. O problema é a falta de acesso a um ensino publico de qualidade. TODOS, incluindo os negros, devem ter acesso a ensino de qualidade, por razões historicas e culturais, temos mais negros nas classes de menor renda, que dependem do ensino publico. Me diz então como ficaria o branco vizinho do negro que mora na favela.. esse aí sim vai comer o pão que o diabo amassou. Merece cota?? não, merece ensino de qualidade, como os negros e todos os brasileiros... falou mais besteira que qualquer coisa meu filho!

Lord Oblivion disse...

Nada melhor sobre essas coisas que quantificar o que se diz:
Na Africa do Sul ao tempo do apartheid tinha mais negros na universidade, proporcionalmente, que tem negros na universades brasileiras..hoje. Se isso nao diz tudo sobre a questão nao sei o que poderia ser melhor..

J Rodolfo disse...

Que asneira, Oblivion, os brancos e os negros nem podiam freqüentar as mesmas faculdades durante o apartheid. Se você está contando os negros que estudavam em universidades separadas nessa conta, daí talvez faça sentido. Mas você acha que abrir "universidades de negros" seria uma solução razoável para o Brasil??

A Lesma Lerda disse...

Teve um debate na PUC MG sobre a questão..naturalmente algum classe media "bem pensante" levantou o argumento manjadissimo que "no Brasil nao dá pra saber quem é negro ou branco" daí um membro da mesa, negro, professor da UFRJ matou a pau: "isso é facil de resolver; basta fazer como faz uma guarnição da PM em qualquer coletivo da periferia de madrugada...só olhar em quem eles descem a porrada que vc sabe direitinho quem é branco ou preto"..o debate acabou.

Anônimo disse...

Pra ser bem sincero, não concordo com cotas raciais... acho que as cotas são necessárias, sim, mas por nível sócio-econômico. Claro que existe uma evidente superposição entre cor da pele e nível econômico, mas o uso do segundo critério é mais adequado, até porque reduz estigma sim. Por causa desta superposição, na prática os negros estarão sendo beneficiados da mesma maneira e ainda haverá um argumento distorcido a menos no arsenal da "crasse mérdia". Cotas sim, mas com critérios outros que não o racial.

Anônimo disse...

Cotas sociais sim, porque dá a impressão, de que quem é branco e pobre, é pobre porque quer.

Genital Lacerda disse...

Esse tema é perfeito para revelar o que é um brasileiro: um sujeito cordial, defensor da igualdade e da justiça, mas...desde que isso nao implique em mudar aboslutamente nada do status-quo, pq afinal cada um tem de saber seu lugar na sociedade e nao ficar caçando chifre em cabeça de cavalo de querer mudar de condição social.
Tuto buonna gente...

Julyanna disse...

A verdade é que nem mesmo cotas sociais resolveriam o problema. Ao contrário, aumentariam o número de vagas oscilantes nas salas de aula das universidades. Afinal, pobre não tem condição de terminar o curso. A gente tem que deixar e ser passiva e agir, pedir reformas na educação básica e, apesar do princípio ser o mesmo das cotas (a história), sou a favor da reforma agrária. A gente paga, a gente tem direitos, vamos cobrá-los :D

Guilherme Bacalhao disse...

A cota social também é uma iniciativa boa, mas temos que reconhecer que elas não resolvem os problemas racias.
Fomos o último país a abolir a escravidão (e isto faz apenas 120 anos). Muito pouco, né?
Apesar do brasileiro adorar dizer que é um país miscigenado e uma democracia racial, não temos democracia na educação. Fica a pergunta, por quantos médicos negros você já foi atendido? Por quantos dentistas negros? Quantos diplomatas negros você conhece?

Com certeza investir em educação básica é importante, mas até a educação básica melhorar serão 20, 30 anos. E por enquanto? E a geração de negros que está terminando e foi excluída da educação de qualidade (assim como os seus pais, como seus avós e os seus bisavós, que eramm escravos)?
Não fazer nada é permitir que a injustiça racial continue acontecendo, é legitimar o histórico domínio dos brancos sobre os negros (que existe desde o Brasil Colônia e Escravocrata).
A cota pode não ser perfeita e merece ser aperfeiçoada, mas é o primeira iniciativa do Estado para garantir aos descendentes de escravos uma condição igualitária de competição. Daqui a 20 anos, talvez os filhos dos atuais cotistas não precisem mais das cotas, mas é necessário um ponto de partida. é verdade que não existem raças, mas existe o racismo e isto precisamos combater: as cotas fazem parte deste combate.
Lembram da campanha do Betinho? Acusavam a campanha de demagógica, que era necessário ensinar a pescar, que era necessário dar trabalho, etc e tal. O que ele respondia? "É verdade, precisamos de tudo isto, mas neste momentos as pessoas estão morrendo de fome e não podemos ficar parados." O mesmo vale para as cotas, precisamos de educação de qualidade, mas não podemos continuar ficando de braços cruzados enquanto uma parcela enorme da população é excluída do ensino superior porque é negra e descendente de escravos.

Anônimo disse...

um negro classe media com renda mensal familiar de 4 mil entra nas cotas de negro enquanto um branco da mesma condição social não entra em nenhuma ?

afinal levando isso em consideração só pode significar que eles são mais burros.

tudo bem pra quem estudou em escolas publicas mas pra quem é simplesmente negro não tem lógica nenhuma

eu sou contra.

Paulo disse...

As cotas devem levar em consideração o poder aquisitivo e nao a cor da pele. O que acontecerá com quem é branco e pobre? E o negro pobre?
Pq, na verdade, quem vai se beneficiar das cotas são os negros mais favorecidos que estudam em cursinhos e podem também pagar faculdade.

Sérgio Ricardo disse...

Eu simplesmente não concordo pelo fato de negro não querer dizer pobre. Eu concordaria se fosse uma cota para pessoas que provassem que não têm condições financeiras. Mas negro, po? tudo bem que, sei lá, 70%, 80%, não sei, dos negors, são de classes socias baixas, mas não quer dizer que são pobres, que não têm poder aquisitivo. Isso é mais um preconceito.

Mah disse...

O bom desse blog é que o pessoal se manifesta sem dó (apesar da fraqueza dos Anônimos). O dia que a populãção entender que as cotas raciais vieram para OS NEGROS, o debate será mais claro, se não, sem chance. Não importa que sejam ricos ou pobres, as ações afirmativas estão aí para inserir negros na universidade e criar um pensamento negro contemporâneo.


Informação é o primeiro passo para combater a ignorância.

Aldo disse...

Olá, pessoal !
Aqui em Sergipe, a UFS, a nossa universidade federal e única pública do Estado acabou de divulgar o resultado do processo seletivo, que há cotas para estudantes pobres, escola pública e relacionadas a categorias como etnia/cor.
Nossa!, meu vocês precisam ver os comentários da CM sergipana, raivosos foram aos jornais juntamente com o sindicato das escolas particulares.
A coisa mais ridícula do mundo, estão chorando por seus filhos "meninos de apartamento" estarem de fora.
Acho que a solução encontrada por eles agora será enviar os filhos para o exterior, fazer Medicina na Venezuela, Paraguai, Bolívia, sei lá, né? Pois, a UFS agora tá cheia de pobres que atacarão o ADIDAS do meu filhão e seu Ipod, né?

Jorge disse...

Parabéns...
vc foi tão profundo, que desnorteou muitos que mostraram a cara nos seus comentários... É claro que as cotas são um paliativo, mas são necessárias para que a curto prazo, a situação do negro melhore um pouco... temos iniciativa, mas também queremos colorir o poder e a bufunfa com as nossas cores...

Fabiano disse...

Eu sou filho de negros, nada demais. Usei as cotas sociais (as raciais eu ainda discuto, já que não se tem raças na espécie humana!), meu caro, e não me envergonho, pelo contrário, me orgulho. Na verdade, não cheguei nem perto de precisar dela para passar na Usp e, menos ainda, na Unicamp, e, na Unesp, onde estou não se fazia uso na época.

Que é paliativo e todas essas coisas, todo mundo sabe, mas é necessário. No bairro da minha familia 50% são negros, na Unesp, me lembro de 2 nesses anos todos. Só eu sou de escola pública, fica a dica.

Com a fortuna que vocês gastam com seus colégios, não deveriam nem se preocupar com a gente, afinal, a maioria das universidades nem usam cotas, usam acréscimos percentuais na nota, o que não tira mérito de ninguém.

Abraços!

lucaspiccoli disse...

cara.. eu li os textos do espaço academico.com.br
sério.. como é que uma pessoa pode cursar dois cursos dessa grandeza e simplesmente NAO ENTENDER NADA.
E a revista tambem, publicou um artigo em resposta ao outro, foi algo muito trash...

parabens pelo blog

Orlando Ferreira disse...

"Nossa!Por que cotas raciais? O que vale é o esforço pessoal de cada um né? Há oportunidades iguais para todos em nosso país!
Escravidão? Políticas de europeização do Brasil? Ah, isso faz tanto tempo, devemos olhar sempre pra frente!Cotas Não!Que absurdo"

- ASSIM FALOU A CLASSE MÉDIA

Joaqim disse...

Além de ser contra as cotas, afinal a não entrada de negros e pobres em universidades públicas é só a "ponta do iceberg", a classe média também combate (e deve continuar combatendo) as políticas afirmativas e a distribuição de renda, afinal o certo não é "dar o peixe, mas ensinar a pescar". Outra causa na qual a classe média deve se engajar cada vez mais é em favor à pena de morte. A violênica está tomando conta, o crack destruindo nossos jovens. É justo lutar por direitos humanos apenas para "humanos direitos"!

O médio-classista, além de tudo, é um primor linguístico!

Leonardo disse...

Ser Classe Media é:

passar no vestibular por ter uma formação e bagagem cultural altissima e estudar em universidades publicas e gratuitas PODENDO pagar bem mais do que a mensalidade mais cara da mais cara das universidades privadas.

Estudei e trabalho e uma Universidade Publica, e posso afirmar q dentre as Federais do RJ é essa a realidade. Por uma questão socio-economica-familiar, a classe media e alta MONOPOLIZA as vagas das universidades publicas. Mas nao paga nada por isso, embora possa... pq sera?

sugestão?

cobre mensalidade, cada um segundo suas possibilidades, de maneira progressiva segundo a renda, e subsidiem os mais necessitados com isenção.

Agora nao sei como isso lidaria como a questão do mérito de acesso - problema q so existe hoje por existirem vagas para todos. Mas que seria mais democratico e menos polemico seria...

Anônimo disse...

Ser classe média (só que do tipo "bempensante") é também pensar que facilitando o acesso ao ensino superior se resolvem todos os problemas dos negros no Brasil. E que se danem os que nem conseguem concluir o ensino fundamental.

jeffersonnelli disse...

haha Mas minha mãe é negra, ou seja mesmo sendo branco tenho sangue de mãe em minhas veias claro né! então sendo assim sou a favor ! mas meu pai paga minha universidade não gosto de nada que não é pago.

Anônimo disse...

putz, o cara receber cota por nao ter condição tudo bem, mas por ser negro é completamente diferente!!!! tem muito negro de classe mesia tambem, e pega cota tendo a mesma condição dos outros. logico q a cota tem q existir, mas por condiçao financeira e não por raça...

Luís Paulo disse...

Bem, ser negro nao diminui o potencial intelectual de uma pessoa.
Todos concordam sobre isso. Então porque uma cota para pessoas com esta cor? Ser negro não quer dizer ser pobre. Faz muito mais sentindo dar cotas para pessoas pobres do que a pessoas negras ou até mesmo pessoas que moram no interior onda o acesso a educação é muito mais restrito. Temos que parar de coitadismo!

Thiago da Cuíca disse...

Poxa... onde esse povo classe média mora.
Ser negro no Brasil é ser pobre? o IPEA e o IBGE estão cansados de mostrar é praticamente sinônimo negro = pobre, com algumas exceções.
Deve-se investir em escola pública, não em cotas, pq o problema é maior. Sim, e alguém q é a favor das cotas pronunciou-se contra o investimento em escola pública? Ambos são necessários e urgentes, mas até obtermos uma boa escola pública lá se vão mais algumas gerações de negros sendo marginalizados.
Por fim, há algo que os brancos pobres não passam, simplesmente pelo privilégio de serem brancos: o racismo. Já imaginou ter mais chances de ser morto pela polícia só pq é preto? ou te negarem um emprego por ser preto? ser desumanizado desde criança e levado a odiar a si próprio por ser preto?
Brancos da classe média, por favor, somente tentem compreender o q passa um jovem negro no mundo para tentar manter de pé seus argumentos contra as cotas.
Por fim, para facilitar, leiam o voto do Ministro do STF, Lewandowski, relator do processo do DEM contra as cotas. Classemadiano não se acha inteligente? Vão lá, municiem-se antes, pq é difícil e chato dar as mesmas respostas há mais de dez anos e o min. do STF referendou todos eles no seu parecer.

Anônimo disse...

Q nada ver q tds no brasil sao negros, eu sou descendente de alemao puro!!! E a maioria das pessoas tb é!